Os municípios que integram o entorno do Distrito Federal devem divulgar no final da tarde uma nota conjunta sobre as medidas de isolamento a serem adotado daqui por diante.

Os chefes do executivo das 32 cidades pertencentes ao Goiás irão analisar a proposta do governador Ronaldo Caiado que instituiu por decreto  a quarentena no Estado em decorrência do pico da pandemia do novo coronavírus.

O grupo de prefeitos irá  se reunir por vídeo conferência quando discutirá  as medidas de isolamento social decretado nesta terça-feira pelo governador do Estado.

O Decreto elenca todos os detalhes para a quarentena intermitente em Goiás. A medida  prevê que o Estado adote um sistema de revezamento das atividades econômicas, intercalado entre 14 dias de suspensão e 14 dias de funcionamento.

A reunião virtual dos prefeitos das cidades do Entorno do DF deverá acabar por volta das 18h, quando serão considerados aspectos do funcionamento do comércio em horários diferentes.

Por sua vez o governador diz esperar que os prefeitos goianos possam encampar as medidas de combate ao novo coronavírus nos seus respectivos municípios e ajudar a diminuir a curva da pandemia.

Em entrevistas concedidas a imprensa nesta terça (30),  o governador  Caiado afirmou  que as medidas adotadas pelo governo têm embasamento técnico-científico e foram tomadas visando diminuir o crescimento da curva da covid 19  no Estado e evitar a sobrecarga do sistema de saúde

“Todas as minhas decisões, desde o primeiro decreto, foram tomadas com embasamento técnico-científico. Diante desse crescimento, que está extrapolando a curva prevista por nós, dentro da nossa capacidade de atendimento em leitos de UTI, buscamos essa nova proposta”, argumentou.

Único médico que está à frente de um Estado, o governador Ronaldo Caiado frisou que o coronavírus é extremamente agressivo e continua surpreendendo por sua capacidade de se manter ativo e pelas diferentes formas de contaminação.

“É um vírus desafiador, e todos os países que acharam que ele não deveria ser tratado como de altíssimo risco se ajoelharam”, lembrou.

Caiado garantiu que, em Goiás, todos os mecanismos e ferramentas considerados atenuantes da disseminação da Covid-19 serão avaliados e considerados pela gestão estadual.

Investimentos na rede hospitalar
Desde o início da pandemia, o Governo de Goiás destinou cerca de R$ 351 milhões para o aparelhamento de hospitais em todo o Estado.

Paralelamente à abertura de hospitais e à ampliação de vagas para atendimento exclusivo da Covid-19 – que até o final de julho devem chegar a quase 600 leitos estaduais –, o governador Ronaldo Caiado tem fortalecido a conscientização sobre a importância do isolamento social, medida considerada a mais eficaz até o momento pelos órgãos competentes no combate à disseminação do coronavírus.

“Em Goiás, vou resistir para que eu possa manter a contaminação em um nível aceitável e compatível com o que eu tenho instalado [na rede de Saúde do Estado]”, declarou.

O governador lembrou ainda que é normal que existam opiniões divergentes, entretanto, de acordo com decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), cada gestor vai responder pelas políticas adotadas em seus municípios.

Segundo ele, apesar de algumas opiniões divergentes, os prefeitos estão reavaliando suas posições. Para Caiado, a maior oposição às medidas de isolamento adotadas até o momento partiram do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, que de acordo com o governador, não goza de credibilidade para tratar sobre o tema, e do ex-governador Marconi Perillo, reconhecido adversário político.

“A ampla maioria da população tem consciência do trabalho que nós estamos fazendo e, ao mesmo tempo, da importância de se preparar o Estado para atender os pacientes”, disse.

Fonte: Radar DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here