banner

domingo, 4 de março de 2018

author photo

Deputado Chico Vigilante incita a categoria a manter a greve mesmo depois da justiça determinar a volta ao posto de trabalho

Justiça do DF considera greve dos vigilantes ilegal, trabalhadores devem retornar imediatamente aos postos, como hospitais públicos, estações do Metrô e bancos, entre outras instituições

Por Fábio Sakamoto
Foto reprodução

O deputado Chico Vigilante gravou um áudio pelo whatsapp, para os vigilantes, insultando a categoria contra a decisão judicial que determina a volta ao trabalho e estabelece uma multa diária ao sindicato no valor de R$ 100 mil reais. O deputado determinou que os vigilantes correm risco de perder dias de trabalho, se derem continuidade à greve, que tem características de greve política, já que as eleições acontecerão este ano e o deputado e outra tribo usam os trabalhadores para aparecerem em um improvisado palanque político.
Ouça Áudio do deputado Chico Vigilante  02/03/2018
Tocador de áudio

Áudio do diretor sindesv e deputado Chico Vigilante  03/03/2018
Tocador de áudio

Parece que o sindicato dos Vigilantes do DF anda bem das pernas financeiramente. Pagar 100 mil reais por dia não é para qualquer categoria. Só não deram conta de pagar o Plano de Saúde da categoria que ficou no esquecimento, justamente porque desviaram mais de 3 milhões de reais , assunto ainda sob investigação avançada do MPDFT e publicizado no DFTV ( rede globo).


Saiba mais
O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10) determinou liminarmente, nesta sexta-feira (2/3), a suspensão da greve dos vigilantes e o retorno imediato para “100% do efetivo trabalhando nos postos de serviços hospitalares, bancários, transporte de valores e tribunais de
Justiça, assim como 70% nos demais postos de serviços”.

Desde o início do movimento, na quinta-feira (1º), o atendimento à população foi afetado em hospitais públicos, estações do Metrô, estabelecimentos bancários, tribunais de Justiça, postos do INSS e escolas públicas, entre outras atividades.

Na noite desta sexta, no entanto, a categoria decidiu, em assembleia, manter a paralisação. Assim, o sindicato dos vigilantes deverá arcar com multa de R$ 100 mil por dia – imposta à entidade pela Justiça em caso de descumprimento da ordem. A entidade anunciou que entrará com recurso no Judiciário.

O pedido que motivou a decisão judicial foi apresentado pelo Sindicato das Empresas de Segurança e Vigilância do Distrito Federal (Sindesp-DF) e acolhido pela desembargadora do Trabalho Maria Regina Machado Guimarães.


your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade