Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Doria pode ser investigado por favorecer grupo Lide em seu governo

Doria pode ser investigado por favorecer grupo Lide em seu governo Pedido de investigação foi protocolado no Ministério Público de SP por de...


Doria pode ser investigado por favorecer grupo Lide em seu governo
Pedido de investigação foi protocolado no Ministério Público de SP por deputados estaduais do PT.
O Ministério Público de São Paulo recebeu uma representação contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para que investigue suposto favorecimento na gestão do tucano em prol do grupo empresarial Lide, criado por ele em 2003, e que tem como dirigente seu filho, João Doria Neto.
Autores do requerimento que aponta atos de improbidade administrativa de Doria, os deputados estaduais Paulo Fiorilo e Mário Maurici, do PT de São Paulo, tomaram como base ao pedido matéria publicada na revista Crusoé na semana passada, que detalha “constante interrelação entre o grupo Lide, Lide China e o Governo do Estado de São Paulo”. O pedido foi protocolado nesta terça-feira, 27.
Segundo a revista, Doria ofereceu uma recepção, em 2019, no Palácio dos Bandeirantes, promovido pelo advogado Marcelo Braga Nascimento, presidente do Lide China até a última quinta-feira, 22. O advogado é amigo pessoal de Doria e seu advogado da campanha eleitoral. 
O Lide China é filial do grupo para negócios e relações entre o Brasil e a China.
Marcelo Braga assumiu a presidência do Lide China em julho de 2017, no mesmo mês em que Doria fez sua primeira viagem oficial ao país, ainda como prefeito, “com o objetivo de vender uma carteira de projetos de parceria público-privada e de privatizações na capital paulista”.
Em agosto de 2019, já como governador, Doria promoveu uma viagem à China com 40 empresários. A expedição, batizada pelo próprio de “Missão China”, foi destinada a “ampliar cooperação e atrair investimentos”. Foi nessa viagem que Doria inaugurou o escritório da agência de fomento do governo paulista, a InvestSP, em Xangai, para ser um “ponto de apoio para as empresas brasileiras”.
“O que vemos na prática é que o Governador João Doria nunca deixou sua frente privada de negócios de lado. Ele mantém despachos frequentes com Celia Pompeia, vice-presidente executiva do grupo, e transferiu sua participação societária nas empresas para o filho mais velho, João Doria Neto”, diz o denúncia dos parlamentares do PT enviado ao Ministério Público.
Ainda segundo o documento, como fator que comprova a estreita ligação entre Doria e a atuação do grupo, ”a seção oriental do Lide fica com a receita das anuidades pagas pelas empresas filiadas – hoje são 30 companhias – e repassa uma parte do dinheiro à matriz, onde atua o filho de Doria, pelo uso da marca”.
“Alguns dos pagamentos recebidos pelo escritório em 2018, que vão de alguns milhares a 2,3 milhões de reais, foram feitos por empresas que possuem concessão de rodovias, uma empreiteira que venceu recentemente a licitação de uma obra do metrô do governo paulista”, ressalta o documento.
Para os parlamentares, há indícios de atos dolosos “seja com a nítida intenção de favorecer um grupo, seja em deliberadamente atentar contra a administração pública”.
Paulo Fiorilo e Mário Maurici afirmam no pedido ao MP que é preciso investigar com urgência “se há mistura entre os interesses do grupo Lide, do conglomerado empresarial de João Doria e os interesses do Estado de São Paulo; com a responsabilização do Sr. Governador e outros que tenham agido conjuntamente por violação aos mandamentos constitucionais”.

Nenhum comentário