Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Sertões: rally deste ano será todo nordestino

  Sertões: rally deste ano será todo nordestino E o maior rally das Américas vai ser todo nordestino, com cuscuz, mel de engenho, camarão, a...

 


Sertões: rally deste ano será todo nordestino

E o maior rally das Américas vai ser todo nordestino, com cuscuz, mel de engenho, camarão, agulhinha frita e o que mais surgir: de 13 a 22 de agosto deste ano, os aventureiros (de carros, motos ou picapes) vão cruzar sete dos nove estados da região, percorrendo exatos 3.524 km de percurso. O evento pretende garantir duas coisas: prova dura e exigente e beleza de fazer piloto errar o trajeto.
Por exemplo: a largada será na belíssima Praia da Pipa, em Tibau do Sul, em comemoração aos 520 anos do Rio Grande do Norte. A chegada? Na não menos bela Praia dos Carneiros, em Tamandaré, Pernambuco. Em resumo: o Sertões 2021 irá animar, e será animado, por potiguares, paraibanos, pernambucanos piauienses e baianos - além alagoanos e cearenses (estes dois últimos não receberão a Vila dos Sertões, que garante o acesso controlado do público).
O roteiro com 3.524 km engloba trechos especiais de 150 cidades da região Nordeste, num total de 2.164 km - ou 60% do percurso cronometrado. A primeira especial vai pelo sertão do Seridó, uma região montanhosa - e já para esquentar os motores e aclimatar os competidores. A segunda etapa é uma ligação para o sertão mais a Oeste.
No terceiro dia a caravana vai passar por vários parques eólicos e por uma ponte com 800 metros de comprimento. Até chegar no quarto dia, quando vão se deparar com o primeiro tesouro da natureza: o entorno da Serra da Capivara, patrimônio mundial da Unesco. Muita pedra, rochas e, claro, muita beleza.
A etapa Maratona, temida por pilotos e navegadores por não permitir apoio mecânico, será no quinto dia de prova - estabelecerá um novo recorde no Sertões: a maior especial em areia já feita na história. Serão 220km de areia pesada dentro de uma especial de 330km. Pode ser a mais dura especial da prova, mas a direção garante: será a mais prazerosa.
Por fim, o sétimo dia garantirá, às margens do rio São Francisco, um fenômeno bem nosso: a caatinga virando verde e a chegada com vista para um cânion deslumbrante. O último dia não terá areia, apesar da proximidade com o litoral de PE, mas o desafio será a navegação.
Campeão em algumas categorias do automobilismo mundial, o piloto Nelsinho Piquet vai competir com o Can-Am Maverick X3, na equipe Piquet Sports. É a segunda vez em sua carreira numa competição de rali cross-country. Apaixonado por velocidade e desempenho, Nelsinho aposta no percurso. “Ficou mais prazeroso”, comentou.
O protocolo de segurança será híbrido: os competidores e os integrantes das equipes poderão usar hotelaria e restaurantes das cidades anfitriãs, mas devem dar prioridade aos estabelecimentos com o Selo do Turismo Responsável.
A organização também tem outra preocupação: a emissão de carbono, com a compensação - por toda a frota, incluindo caminhões, motorhomes e deslocamentos aéreos - por meio da parceria com a Moss Earth, plataforma de crédito de carbono (o que garantirá a neutralização de 2.000 toneladas de CO2 só nesta edição).
Este ano, o Sertões vai contar com uma nova categoria geral para veículos movidos a etanol, com subsídio de 25% de desconto nas inscrições, e a estreia do 1º veículo experimental híbrido, projeto 100% brasileiro: o UTV movido a etanol + baterias elétricas, que está sendo desenvolvido graças à parceria entre a CBMM e a Giaffone Racing.
Em 2022, a meta é incorporar subcategorias a etanol; categoria veículo híbrido e o 1º veículo elétrico experimental. Para 2023/2024, competição entre energias renováveis alternativas e o engajamento na categoria etanol. E em 2025 a meta é fazer um rally apenas com veículos com energia renovável: híbrido, elétrico, etanol e combustível sintético.
Carro por assinatura - Você já pensou em andar de carro 0km todo o ano sem ter de se preocupar com IPVA, custo de manutenção, seguro etc? E pagando apenas uma mensalidade? Pois a Ford acaba também de entrar no mercado de carros por assinatura. O Ford Go atende 200 cidades de todas as regiões do Brasil e oferece todas as versões da Ranger (XLS, XLT, Limited, Storm e a nova Black), além do Territory (SEL e Titanium). As mensalidades começam a partir dos R$ 3.700, com opções de franquia mensal de 2.000 km e 3.000 km na assinatura de um ano.
Mobilidade urbana - Como as cidades financiam a infraestrutura – e como o farão na retomada pós-pandemia? Segundo levantamento do WRI Brasil, instituto de pesquisa que atua para desenvolver estudos e soluções sustentáveis em 60 países - a Covid-19 evidenciou as deficiências em infraestrutura e serviços - como o déficit no transporte coletivo. Para viabilizar reduzir esses passivos de infraestrutura e serviços urbanos, as prefeituras estão recorrendo ao financiamento. Com um cenário econômico desfavorável, os recursos disponíveis aos municípios para esses investimentos estão cada vez mais escassos. Por isso, só há uma saída: diversificar as fontes de financiamento.
Histórias de rádio - Da música à informação, do controle manual de liga-desliga ou de mudança de frequência à central multimídia: o rádio automotivo já possui mais de 100 anos e continua evoluindo. Os primeiros rádios automotivos apareceram no início dos anos 1920 - inicialmente nos Estados Unidos - como itens exclusivos e personalizados feitos por aficionados e utilizando como base a tecnologia contemporânea de válvula de rádio. No início, esse avanço foi muito bem recebido na Europa. O primeiro rádio automotivo produzido em massa na Europa foi fabricado pela Bosch e foi apresentado em 1932. O aparelho pesava 15 quilos e tinha preço altíssimo. Atualmente, a tecnologia oferece opções que vão muito além de entretenimento, notícias e notificações de trânsito. Viraram um sistema completo de mídia digital e tecnologia da informação. Por exemplo: o rádio de um automóvel Mercedes-Benz faz parte de um sistema de informação entretenimento adaptável e totalmente personalizável.
Preços subindo - A produção de veículos no Brasil cresceu 55,5% nos cinco primeiros meses de 2021, quando se compara o mesmo período do ano passado. E os preços seguem o mesmo caminho de alta. E podem subir ainda mais com o custo da energia das termelétricas.por exemplo: a Kelley Blue Book Brasil, especializada em pesquisa de preços de veículos novos e usados, calculou a variação média dos preços dos 10 carros mais vendidos nos últimos 10 meses e descobriu que, de toda a lista, apenas dois modelos tiveram reajustes abaixo dos 10% no período. A KBB Brasil verificou o preço 0km médio dos 10 modelos mais vendidos em setembro de 2020. Então, os comparou com o mês de junho deste ano, usando a mesma metodologia de apuração. Resultado: nos últimos 10 meses, o Jeep Renegade foi o carro com a maior média de reajuste de preços dentre os 10 mais vendidos, de 19,35%. Na outra ponta, o Chevrolet Onix foi o modelo com a menor média de aumento da lista, com 5,71% de variação.
Exame toxicológico - Atenção, motoristas profissionais de vans, caminhões e ônibus - e que sejam donos de CNHs categorias C, D e E com vencimento entre março e junho de 2021: quem não estiver em dia com o exame toxicológico será automaticamente multado a partir de 1º de julho. E o valor é pesado para o bolso: R$ 1.467,35. É uma infração gravíssima, com atribuição de 7 pontos à CNH e a suspensão do direito de dirigir por três meses.
Mundo náutico - A Mercedes-AMG e a Cigarette Racing se uniram para produzir um novo barco de alto desempenho, o 41’ Nighthawk - que oferta 2.250hp. O 13º produto desenvolvido nesta parceria tem desempenho acima dos padrões e muitos recursos tecnológicos e de luxo. Tem centro de gravidade baixo, que melhora a pilotagem, e o peso total menor, que melhora a velocidade. O modelo é o primeiro em sua linha a utilizar cinco motores de popa. Esses cinco motores V8 de 4,6 litros criam cada um deles 450hp no pico e são controlados por um avançado sistema de aceleração que permite que apenas duas alavancas sejam usadas para controlar os cinco motores simultaneamente.
Moto por R$ 700 mil? - E a Ducati Superleggera V4 está chegando ao Brasil já com uma marca: será a moto mais cara à venda por aqui. Por R$ 700 mil, você poderá ter na garagem uma das 500 unidades que serão produzidas mundialmente. Como tem apenas 159 quilos, a relação peso-potência é de 1,54cv por quilograma. Foi construída com chassi, rodas, carenagem e balança traseira em fibra de carbono.
Nova Montana - A futura picape da Chevrolet será totalmente renovada, mas manterá um nome antigo: Montana. Ela irá estrear um conceito inédito para a marca: segundo Hermann Mahnke, diretor-executivo de Marketing da GM América do Sul, isso a colocará em um outro patamar, que se traduz para o consumidor em um automóvel mais evoluído do ponto de vista arquitetônico, com melhor dinâmica, eficiência e conteúdo.
*Renato Ferraz, ex-Correio Braziliense, tem especialidade em jornalismo automobilístico.

Nenhum comentário