banner

sábado, 18 de abril de 2015

author photo
A grande questão é que o Brasiliense só conseguiu a façanha de bater os arquirrivais por três gols no Bezerrão

Lucas Magalhães
Quando a bola rolar no Bezerrão, hoje, a partir das 16h, o Brasiliense não terá pela frente apenas o time do Gama e a pressão da torcida gamense. Com alviverde por 2 x 0 no jogo de ida da semifinal, o Jacaré precisará vencer por três ou mais gols de diferença na casa dos adversários para avançar à decisão. 
A grande questão é que o time amarelo só conseguiu a façanha de bater os arquirrivais por três gols no Bezerrão, uma única vez, no Candangão de 2011. Na ocasião, vitória por 3 x 0, os três tentos foram anotados pelo atacante Rômulo. A partida, como não podia deixar de ser, continua fresca na memória do jogador.
“O jogo estava parelho. Lembro de um lance que invadi a área no final do primeiro tempo, tomei uma voadora por trás e o juiz deu pênalti que eu converti. Fiz também o segundo gol no início do segundo tempo e isso meio que desestabilizou o Gama, eu acho”, relembra o atacante, hoje atuando pelo Itauçu-GO.

Precaução gamense
Mesmo com a vantagem de poder perder por até dois gols de diferença, o discurso no Gama é de respeito ao Brasiliense. O experiente elenco está ciente de que o Jacaré não se entregará com facilidade.
“Ainda não está nada ganho. Temos mais 90 minutos na nossa casa para definir o finalista. Não tem clima de já ganhou, até porque vamos enfrentar outra decisão importantíssima, novamente contra o Brasiliense”, frisa o volante Baiano, capitão do Gama.

Várias atrações para os finalistas do Candangão
Além de garantir a chance de disputar a Série D do Campeonato Brasileiro, alcançar a final do Candangão dará ainda a oportunidade para que os jogadores atuem no maior palco do futebol candango: o estádio Mané Garrincha.
Neste ano, diferentemente do que ocorreu em 2014, ambas as partidas decisivas terão transmissão pela televisão. Nos comentários, a emissora detentora dos direitos já escalou o ex-jogador Júnior, além do ex-árbitro Renato Marsiglia.
Para o público, um show do funkeiro carioca MC Koringa, autor de canções como Convocação e Joga o Tambor pro Alto, também está previsto. O artista deve se apresentar durante os 15 minutos de intervalo entre as etapas.

Reunião selará detalhes
De acordo com o presidente da Federação Brasiliense de Futebol (FBF), Jozafá Dantas, um encontro entre dirigentes na segunda-feira colocará ponto final nos detalhes para as pártidas decisivas. Segundo ele, a reunião está marcada para o início da semana pois, até lá, o primeiro finalista da competição já estará definido.
Ainda de acordo com o mandatário da entidade, há a possibilidade do primeiro jogo da decisão contar com público reduzido.
“Para o primeiro jogo, é razoável que se use o anel inferior, para 22 mil pessoas. Para o segundo, vamos analisar a liberação total do estádio”, explica.

Kiros pode pintar na escalação
Mesmo com a derrota no jogo de ida, o técnico Rafael Toledo optou por relacionar para a partida os mesmos 21 jogadores convocados para o embate da última quarta-feira.
Desta forma, nomes como o meia-atacante Lopes, que chegou ao Jacaré nesta temporada, sequer estarão no banco. O que o treinador pode fazer até o pontapé inicial, entretanto, é promover alterações nos 11 que saem jogando. Uma mudança que pode ocorrer é que o atacante grandalhão Kiros, de 1,96m pode entrar no time titular.
Caso essa mudança, de fato, ocorra, o artilheiro do Brasil na temporada, com 11 gols, terá a chance de marcar pelo menos o seu segundo gol com a camisa do Brasiliense. O primeiro, e único, até o momento, foi anotado contra o Sobradinho, na fase de quartas de final.

Mira precisa

O técnico Rafael Toledo, além de mudanças no elenco, também já sabe o que o time precisa fazer caso queira sonhar com a final no Mané Garrincha. “Fizemos um bom jogo, mas nossas conclusões precisam ser mais efetivas. Temos essa consciência para o jogo de volta”, resumiu.
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade