banner

sábado, 10 de novembro de 2018

author photo


Futuro secretário de Segurança quer investir na ressocialização: “não adianta apenas prender”

PEDRO GRIGORI

A ressocialização será uma das pautas prioritárias da gestão do secretário de Segurança Pública da gestão de Ibaneis Rocha (MDB), o delegado federal Anderson Gustavo Torres. Em concordância com o emedebista, o futuro líder das forças de segurança do DF afirma que respeitar os direitos humanos é uma “obrigação legal”.
Em coletiva de imprensa no Centro Internacional de Convenções de Brasília (CICB), onde ocorrem as reuniões da equipe de transição, o policial federal afirmou ser contrário à proibição do saidão. “Estou muito preocupado com a ressocialização dos presos. Não adianta apenas prender. Precisamos saber o que fazer com essas pessoas ao sair do sistema (prisional)”, explicou. Para isso, o futuro secretário quer fortalecer a Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap).
Anderson recebeu convite para integrar a equipe de Ibaneis na terça-feira (6/11) e diz ter sido pego de surpresa. “Sou brasiliense nascido e criado aqui. O tamanho da alegria é o tamanho da responsabilidade”. Uma das prioridades do policial federal será “melhorar a vida do cidadão de Brasília e aumentar a sensação de segurança”.
Até então, o futuro secretário trabalhava como chefe de gabinete do deputado federal Fernando Francischini (PSL/PR), ligado ao futuro presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ele também atuou na Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, vinculada à PF de Curitiba e ao futuro Ministro da Justiça, Sérgio Moro. O futuro chefe da Segurança garante conhecer e admirar Bolsonaro e Moro, mas ressalta que mantém uma relação apenas profissional com os dois.
Reabrir delegacias
Uma das principais promessas de campanha de Ibaneis Rocha é a reabertura em tempo integral das delegacias de polícia do DF. Até o momento, Anderson garante não ter uma data certa para cumpri-la. “Ainda não tenho os dados em mãos. Vou começar a andar pela Secretária e pela PM e Polícia Civil. Mas nossa ideia é fazer isso (reabertura das delegacias) o mais rápido possível”.
O futuro secretário também reafirmou compromisso de Ibaneis de inaugurar novas unidades da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin). “O governador se comprometeu e nós vamos tentar viabilizar isso. Abrir o que foi fechado e proporcionar à população do DF a segurança que ela merece”.
Além do nome de Anderson, Ibaneis definiu nas últimas semanas a futura comandante da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), coronel Sheyla Soares Sampaio, e o próximo diretor-geral da PCDF, delegado Robson Cândido.
Nos próximos dias devem ser divulgados também os nomes das demais chefias de segurança – Corpo de Bombeiros e do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF). “Essas decisões têm sido colegiadas. Os melhores estão sendo escolhidos”, acrescenta o futuro secretário de Segurança.

Leia mais:
 http://blogs.correiobraziliense.com.br/cbpoder/futuro-secretario-de-seguranca-quer-investir-na-ressocializacao-nao-adianta-apenas-prender/
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade