banner

sábado, 15 de dezembro de 2018

author photo


A rua São Paulo, em Abadiânia (GO), começou o dia com brinquedos infláveis, música alta e distribuição de pipoca. Voluntários vestiram a camisa de João de Deus para organizar a festa de Natal da Casa Dom Inácio de Loyola e da Casa da Sopa, onde a população local recebe alimentação gratuita diariamente. A esposa da principal personalidade da cidade, Ana Keyla Lourenço, fez uma breve aparição no evento, por volta das 11h.
Realizada há 15 anos, a celebração reúne a população da cidade e fiéis. Tradicionalmente, o Papai Noel que distribui presentes às crianças é o próprio João de Deus. Desta vez, o médium está na eminência de se tornar foragido da Justiça em decorrência de um mandado de prisão preventiva a pedido do Ministério Público após denúncias de abuso sexuais durante seus atendimentos espirituais.
A esposa do médium está à frente da organização do evento. “Que nossos lares continuem cheios de amor, de respeito e de carinho”, declarou Ana Keyla, rapidamente.
Ao lado dela, estava o braço direito do marido, Chico Lobo, um dos administradores da Casa Dom Inácio de Loyola. “É um prazer dar essa festa. Ela é feita com amor, independentemente de qualquer coisa. Não estamos preocupados com nada, apenas com as crianças”, afirmou. Chico disse que não teve contato com o amigo nos últimos dias, mas que acredita que seu paradeiro seja no estado de Goiás.
No vestuário de vários participantes, João de Deus está presente. Uma estampa da foto dele com o desenho de gorro de Natal na cabeça foi parar em dezenas de camisas confeccionadas pela família de Sadir Nunes, de 76 anos. Morador de Anápolis, onde o médium também tem imóveis, garante que seu João, como o chama, salvou sua vida após um infarto. Sua filha também teria sido curada de um câncer de mama.
“Ele é uma bênção. Estou muito sentido porque ele não merece isso. É um homem muito amoroso, um pai para nós. A Casa da Sopa ele fez para o povo”, afirmou.
“Pai de todos”Quem compareceu à festa se mostra grato ao médium por mudanças ocorridas em Abadiânia ou na vida pessoal.
“Tudo isso matou a cidade”, resumiu Maria Aparecida Gonçalves, de 59 anos, referindo-se às denúncias de abuso sexual. “Agora, quem quiser trabalhar, vai ter que procurar uma roça. Aqui não tem uma empresa. Quem gerou empregos foi João de Deus”. A própria Maria Aparecida afirma que a vida toda conseguiu se sustentar graças às doações da Casa da Sopa. “Estou horrorizada com tudo isso que aconteceu, mas a verdade virá à tona. Ponho minha mão no fogo por ele e sei que é inocente”.
Mãe e filha, Rosimeire Pereira, 42 anos, e Angélica de Oliveira, 22, foram acolhidas por João de Deus. A família teve que se mudar de Interlândia (GO) para Abadiânia, mas não conseguiu adquirir uma casa na cidade. Foi quando o médium ofereceu para que os filhos da mulher morassem com ele em sua fazenda em Anápolis. Enquanto isso, Rosimeire ficou hospedada na casa de uma amiga, em Abadiânia. Angélica, uma das filhas, teria vivido sete anos com João de Deus.
“Quando criança, sempre ficava sozinha com ele. Nunca fez nada comigo. Nunca faltou com respeito a ninguém. Sempre brincávamos juntos, assistíamos filme. É meu segundo pai”, emocionou-se.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade