( 00:00:00 )

sábado, 12 de janeiro de 2019

author photo

SOS Segurança prevê paridade da PCDF, concursos e delegacias reabertas
Anúncio foi feito no lançamento do programa. Ibaneis lançou uma série de medidas, como a implementação de escolas militares
O governador Ibaneis Rocha (MDB) anunciou, durante o lançamento do programa SOS Segurança, na tarde desta sexta-feira (11/1), uma série de medidas para o setor, como investimentos milionários, a abertura de concursos públicos para as polícias e agentes de atividades penitenciárias, além da implementação de escolas militares. Também foi assinada uma ordem de serviço que cria um grupo de trabalho com integrantes da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e sindicatos para estudar como será concedida a equiparação salarial da Polícia Civil com a Polícia Federal.
“Essa comissão terá 15 dias para apresentar estudos de como vamos conceder os reajustes e em que prazo serão pagos. Esse grupo também analisará como pagar a equiparação da Polícia Militar”, disse Ibaneis. “Os estudos estão bem avançados. Há a possibilidade de parcelarmos o pagamento da paridade”, acrescentou o secretário de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão, André Clemente.
Além dessas medidas, o governador anunciou o investimento de R$ 300 milhões nas forças de segurança e o aumento da gratificação pelo trabalho voluntário: de R$ 300 para R$ 400. “Serão mais 25 mil horas na Polícia Militar colocadas à disposição da sociedade”, afirmou.
Segundo Ibaneis, será encaminhado à Câmara Legislativa um projeto para criar o trabalho voluntário na Polícia Civil com gratificação de R$ 400. Ainda de acordo com o emedebista, “assim que aprovada essa medida, no prazo de 30 dias, vamos abrir todas as delegacias”.
O governador também disse que lançará editais para três delegacias: reformar completamente uma das unidades de Taguatinga, construir mais uma em Sobradinho II e outra no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA).
Outra novidade é a implementação de 40 escolas militares. A previsão é inaugurar as quatro primeiras ainda neste ano, em Ceilândia, Recanto das Emas, Sobradinho e Estrutural. “Esse ensino de excelência tem de ser estendido a todas as escolas do DF”, disse Ibaneis.
“A ideia é usar a estrutura de escolas já existentes, de 6º ao 9º ano e do ensino médio. Em um segundo momento, essas unidades passarão a ser em tempo integral. Serão investidos R$ 800 mil – R$ 200 mil por colégio. O modelo é o mesmo da escola da Polícia Militar”, afirmou o secretário de Educação, Rafael Parente.
A iniciativa, contudo, causou repercussão negativa no Sindicato dos Professores (Sinpro). Em texto divulgado no site da entidade, a medida foi criticada.
“Mesmo diante de uma mudança tão drástica, em nenhum momento a comunidade escolar e o segmento professores foram consultados pelo governo, embora o GDF afirme que os gestores foram consultados. A consulta é crucial, uma vez que o projeto imposto pelo GDF introduzirá de 20 a 25 militares dentro das escolas com a função de ‘ajudar’ na formação disciplinar de alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do ensino médio”, publicou o sindicato.
Concursos à vistaDe acordo com o governador, serão lançados, ainda neste mês, concursos para recompor as forças de segurança. A ideia é promover seleções nas polícias Civil, Militar e para agentes de atividades penitenciárias.
“Só na PM, deveriam ser 18 mil militares, mas hoje o efetivo é de 11 mil. Vamos trabalhar também no Corpo de Bombeiros, que já tem concurso em andamento, para analisar o efetivo necessário”, disse.
O secretário de Segurança Pública, Anderson Torres, foi o primeiro a falar na cerimônia. “Hoje, faz 10 dias que assumimos a segurança e estamos destravando a máquina para atuar no DF, implementando medidas para que as forças trabalhem de maneira integrada. Não só as áreas de segurança, mas todas as secretarias: a palavra de ordem é integração”. Ainda segundo Torres, as medidas administrativas são para viabilizar as atividades das polícias.
Ao lado de Ibaneis e de Torres, participaram da solenidade o vice-governador Paco Britto, o diretor-geral do Departamento de Trânsito (Detran), Fabrício Moura, a comandante da PM, coronel Sheyla Sampaio, o diretor da Polícia Civil, Robson Cândido, a deputada federal eleita Celina Leão (PP), o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Emilson Ferreira, e o secretário-adjunto da Casa Civil, Marcelo Martins.
O programa SOS Segurança, sob o guarda-chuva do SOS DF, tem como meta que o trabalho da área no DF seja pautado por ações bem definidas, com estratégias claras e mais policiais nas ruas.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior