banner

sexta-feira, 23 de maio de 2014

author photo


Constrangimento na Câmara

A polêmica envolvendo Xuxa e o deputado evangélico Pastor Eurico, do PSB de Pernambuco, chegou em Eduardo Campos, como era de se imaginar (Leia mais aqui).

Ao saber que o correligionário havia acusado Xuxa de cometer “a maior violência contra crianças em um filme pornô”, Campos ligou para Beto Albuquerque, seu braço-direito e líder da bancada.

Albuquerque contou o ocorrido e a conversa que teve com o deputado. O espalhafatoso Pastor Eurico foi enquadrado. Albuquerque cobrou explicações e disse que ele tinha sido agressivo e desrespeitoso. O Pastor não baixou a crista e rebateu:

- Eu falei o que eu penso.

Albuquerque ainda não engoliu a rebeldia do correligionário e os possíveis danos ao partido e, agora, diz o que pensa:

- Parecia o apedrejamento a Maria Madalena, só que não tinha nem Jesus para perguntar quem atiraria a primeira pedra. Foi uma atitude absurda.

Por Lauro Jardim

http://veja.abril.com.br/blog/radar-on-line/
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade