banner

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

author photo

Brasil foi o país que mais registrou mortes de travestis e trans em 2017

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

A cada 48h um travesti ou transexual é assassinado no país

O Brasil assumiu uma triste liderança mundial. De acordo com dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), em 2017, o paí foi o que mais registrou assassinatos de travestis e transexuais, homens e mulheres, em seu território.

Segundo o levantamento, foram 179 mortes no ano passado, espalhadas por todas as regiões do Brasil. Em um mapa (acesse clicando aqui), é possível identificar o nomes das vítimas e a localização dos crimes. Os estados mais sangrentos foram Minas Gerais (20 Mortes), Bahia (17) e São Paulo (16).

Foto: Reprodução/Antra

O Antra também apontou que 45% dos assassinatos de LGBT são de pessoas trans, revelando que essa parcela da população tem nove vezes mais chances de sofrer violência. A expectativa de uma Mulher Transexual, ou de uma Travesti, não passa dos 35 anos.

A pesquisa ainda apontou que 80% dos assassinos não conhecem ou não tem ligação com a vítima. O que mais chama a atenção, entretanto, é o fator mais triste: 95% destes crimes apresentam requintes de crueldade.

De acordo com dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), a cada 48h um travesti ou transexual é assassinado no Brasil.
Fonte: Jornal de Brasilia 09/01/2018
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade