banner

sexta-feira, 25 de maio de 2018

author photo

PMDF informou que foi acionada por cidadãos para verificar bloqueio do trânsito no local
Uma ação da Polícia Militar deixou brasilienses revoltados na manhã desta sexta-feira (25). Motoristas que faziam fila para abastecer em um posto de combustíveis da 202 Sul foram multados por bloqueio de via. Vídeos que circulam pelas redes sociais mostram o momento.

O posto é um dos poucos em que ainda há combustível. Na quinta (25), diversos estabelecimentos foram fechados, porque não havia como reabastecer os estoques, em virtude do bloqueio na distribuidora da Petrobras no Setor de Indústria e Abastecimento (Sia). Também na quinta, houve acordo entre governo e representantes dos caminhoneiros pela suspensão da greve durante 15 dias. No entanto, os protestos continuam pelo país

Procurada pelo Jornal de Brasília sobre a situação na 202 Sul, a PMDF informou que havia sido solicitada por alguns cidadãos sobre bloqueio de vias no local. Ali, segundo a corporação, “os policiais verificaram que alguns motoristas estavam impedindo o acesso de outros veículos às tesourinhas”. A corporação disse que os militares pediram a liberação da via para a circulação de outros carros, mas não foram atendidos.



“Os condutores resistiram, não quiseram sair e, por este motivo, os policiais notificaram esses veículos. A PMDF informa que essa foi uma situação isolada diante do quadro atual; no entanto, a medida foi necessária para garantir o direito dos demais”, informou a corporação em nota.

Por meio de sua conta no Twitter, o governador Rodrigo Rollemberg falou sobre situação. “Informo que o sargento foi repreendido e as multas serão anuladas. A população pode ficar tranquila em relação a isso”, escreveu.



Vídeos
Ontem, o governador montou um gabinete de crise com objetivo de minimizar os impactos da greve dos caminhoneiros na prestação dos serviços públicos na cidade. Rollemberg mobilizou todo o primeiro escalão do Buriti para fazer um raio-x do problema e planejar medidas para conter os prejuízos.
Fonte: Jornal de Brasilia 
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade