banner

terça-feira, 17 de julho de 2018

author photo

Acusado de matar Janaína com cinco facadas é preso

Stefanno Jesus Souza Amorim será indiciado por feminicídio. Inquérito deve ser remetido ao MPDFT até quarta (18/7)

O acusado de assassinar brutalmente a funcionária terceirizada do Ministério dos Direitos Humanos Janaína Romão Lúcio, 30 anos, foi preso às 16h desta terça-feira (17/7), no Recanto das Emas. Stefanno Jesus Souza Amorim, 21, responderá por feminicídio, segundo o delegado-chefe adjunto da 33ª DP (Santa Maria), Alberto Rodrigues.

O criminoso foi localizado durante operação conjunta entre a 33ª DP e a 27ª DP (Recanto das Emas), graças a uma denúncia anônima. Após o indiciamento por feminicídio, o inquérito deve ser encaminhado ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) até esta quarta-feira (18).

Janaína foi morta no final da tarde do último sábado (14), em Santa Maria, depois de levar cinco facadas, no peito e nas costas. Os golpes foram desferidos pelo ex-marido. A mulher deixou duas filhas, de 2 e 4 anos.

A vítima era constantemente espancada por Stefanno. Janaína registrou duas queixas contra o agressor. A primeira, por ameaça, foi feita em 2014, quando o acusado tinha apenas 17 anos. Já em 2017, o caso evoluiu para lesão corporal. Nas duas vezes, a jovem pediu medidas protetivas, mas depois retirou a solicitação na Justiça.
2/6Nas redes sociais, a vítima chegou a ser ameaçada pelo ex-companheiroReprodução

3/6Janaína e StefannoJP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

4/6Janaína e StefannoJP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

5/6A jovem tinha 30 anosDivulgação/Facebook

6/6Janaína trabalhava no Ministério dos Direitos HumanosReprodução

Janaína morreu esfaqueada em Santa Maria, quando foi buscar as duas filhas na casa de StefannoReprodução

2/6Nas redes sociais, a vítima chegou a ser ameaçada pelo ex-companheiroReprodução

3/6Janaína e StefannoJP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

Janaína e StefannoJP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

A jovem tinha 30 anosDivulgação/Facebook

Janaína trabalhava no Ministério dos Direitos HumanosReprodução

Janaína morreu esfaqueada em Santa Maria, quando foi buscar as duas filhas na casa de StefannoReprodução

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade