banner

sábado, 14 de julho de 2018

author photo

Reciclando o Futuro promove desfile com roupas feitas de lixo

Renata d’Aguiar idealizadora do projeto social Reciclando o Futuro, realiza desfile com catadoras antes de se afastar da presidência do projeto

Renata d`Aguiar é economista, formada pela FGV, Auditora Federal de Finanças e Controle do Tesouro Nacional, e idealizadora do projeto Reciclando o Futuro, uma Organização Não Governamental - ONG que surgiu com os catadores da Estrutural buscando dar visibilidade aos trabalhadores e mostrar as riquezas que podem ser geradas a partir do que é descartado.

O projeto foi concebido após Renata perceber a necessidade de gerar conscientização sobre a importância da separação do lixo, da reciclagem e da coleta seletiva. Atualmente diversos países já possuem ações voltadas para essa área, o que não ocorre no Brasil: a sociedade precisa compreender que o lixo descartado em suas residências podem ser transformados em arte e gerar renda para inúmeras famílias.

Defendendo a bandeira da inclusão social e com o objetivo de dar visibilidade para o trabalho dos catadores, surgiu a ideia de realizar o concurso Miss Catadora 2018. O evento propôs as participantes que garimpassem elementos para produzir a própria roupa e mostrar que é possível reutilizar o que antes era apenas lixo. Isso é reciclagem!

O Miss catadora teve ao todo 19 participantes que tiveram um merecido reconhecimento pela criatividade. Nos looks, produzidos com itens vindos do lixo, foi possível ver lacres de latas de alumínio, plástico bolha, apliques de caixas de isopor de ovos, papelão, retalhos de tecidos, papel de jornal e revista, além de fitas de VHS, material que se encontra em desuso há alguns anos, mas continua no meio ambiente.

“Costumo dizer que o objetivo inicial do projeto era dar visibilidade aos catadores e o concurso nos proporcionou realizar esse objetivo. Hoje o projeto se expandiu e conta com varias outras ações. É isso que queremos promover por meio do Reciclando o Futuro, inclusão social. Me sinto realizada após o Miss Catadora 2018, costumo dizer que nosso objetivo inicial foi alcançado e mostramos o quanto o lixo é rico. Deixo a presidência do projeto com o sentimento de dever cumprido”, explica.
Com o sucesso do concurso, vários empresários abraçaram a causa e entraram como parceiros, o que fez com que o projeto ganhasse mais força. Hoje o projeto conta com oficinas de capacitação, como por exemplo: aulas de bolo no pote, de pães, alfajor, biscoitos, artesanato e muito mais.

O reconhecimento tem sido tão grande que recentemente as finalistas do concurso foram convidadas para participarem do evento internacional Cidades Lixo Zero evento promovido em Brasília para tratar sobre ações mundiais voltadas para a diminuição mundial do lixo, onde promoveram um novo desfile mostrando que o lixo pode virar luxo.

“Tenho certeza que um dia conseguirei fazer ainda mais, não apenas pelo projeto, mas pela sociedade que merece ações mais eficientes que de fato melhorem a qualidade de vida deles. Sempre digo que a politica é um ato nobre quando vinculada ao conceito de bem e de virtude, e o que eu desejo é mostrar que isso é possível”, diz Renata d’Aguiar.
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade