banner

sábado, 4 de agosto de 2018

author photo


Eric Zambon

O anúncio de Rodrigo Rollemberg sobre a troca de Leany Lemos por Leila do Vôlei na chapa do PSB para o Senado contou com um aceno progressista. O chefe do Executivo, em busca da reeleição, prometeu dar a mulheres 50% dos cargos de sua eventual segunda gestão. Ele ainda reforçou que pretende eleger a primeira senadora da história do DF.

A troca também sinaliza que o partido vê cada vez mais distante a aliança com o PDT e não enxerga a posição de senador como negociável. Mesmo que os pedetistas se juntem ao palanque de Rollemberg, ele deixou claro que disputariam apenas os cargos proporcionais restantes. “Conversei longamente com o Joe (Valle) no domingo e ele manifestou que não tinha interesse de ser candidato ao Senado. Eu estipulei muito a ele para ser candidato a deputado federal”, revelou o governador.

Leila também é uma figura com capital político para trabalhar sua candidatura, diferentemente de Leany, que tinha apenas a boa vontade. “Quando surgiram com a ideia de eu tentar me eleger no ano passado, eu disse que nem meus filhos votavam em mim”, brincou durante o discurso na sede do Diretório Nacional do PSB, na 304 Norte. “Não é possível que a cada dez deputados, só um seja mulher. Nós estamos à disposição. Quero eleger uma mulher para o Senado e fico confortável de defender a candidatura da Leila”, idealizou.

A nova pré-candidata a senadora, por sua vez, parece receosa. Ela caminhava para uma eleição a deputada distrital depois de ter expressiva votação em 2014 – foram pouco mais de 11 mil votos – e agora precisa lidar com uma campanha majoritária. “Na proporcional, era eu e minha equipe. Agora vou ter que aprofundar minhas bases, mas percebi que há um apoio explícito da maioria (dentro do partido)”, analisou.

Com a manobra, a coligação de Rollemberg rumo ao segundo mandato está da seguinte maneira: o próprio governador como candidato ao Buriti; Chico Leite (Rede) e Leila do Vôlei como postulantes ao Senado; Marcos Dantas (PSB), Maria de Lourdes Abadia (PSB) e Israel Batista (PV) como principai nomes para a Câmara Federal; e Igor Tokarski (PSB) e Thiago Jarjour (PSB) como os distritais de melhor retrospecto.

Neste fim de semana, o restante das convenções regionais acontecem na capital e podem determinar se a chapa de Rollemberg ganha força ou permanece como está. PDT, PPL e PCdoB ainda têm chances de subir no seu palanque.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade