banner

domingo, 21 de outubro de 2018

author photo

Bolsonaro quer Sérgio Moro no Supremo, diz presidente do PSL
Gustavo Bebianno diz que “seria bom” que STF retomasse “a sua credibilidade”
O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, afirma que uma das linhas de um eventual governo de Jair Bolsonaro será “discutir tabus”.
Cotado para ser ministro da Justiça caso o capitão reformado seja eleito, Bebianno – que dedicou os últimos meses a coordenar a campanha de Bolsonaro -, afirma que entre os “tabus” brasileiros estão a Previdência, a legislação trabalhista e o Supremo Tribunal Federal (STF).
Segundo Bebianno, um eventual governo Bolsonaro poderá indicar o juiz Sérgio Moro, titular da Operação Lava Jato em Curitiba, para ministro do Supremo.

Apesar do discurso de Bolsonaro contra o sistema político, o presidente do PSL admite fazer alianças com o MDB e o DEM.

Sobre a atuação do PSL na Câmara, Bebianno afirmou que “com petista não há papo”. “Porque petistas são o mal para o Brasil”, disse, acrescentando ainda que não haverá diálogo também com PSol ou PCdoB
Em meio às especulações sobre a possibilidade de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável, assumir o comando da Câmara, Bebianno disse considerar saudável que o presidente da Casa não seja do partido de Bolsonaro.

“Com muita concentração de poder, na presidência da Câmara o partido acabaria se confundindo com a presidência do Executivo. De um modo geral, a gente precisa do Congresso para governar, então é importante que haja um bom diálogo”, disse, acrescentando ainda não se opor à manutenção de Rodrigo Maia (DEM-RJ) no posto.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade