banner

terça-feira, 20 de novembro de 2018

author photo
João Doria, Dona Ivone Fernandes e o senador eleito Izalci Lucas. Foto: Reprodução


Por Delmo Menezes


Forte defensor da Educação, e um dos parlamentares mais atuantes no Congresso Nacional, o senador eleito Izalci Lucas (PSDB), afirmou na noite desta terça-feira (20) ao Agenda Capital, que foi sondado por diversas lideranças políticas para assumir a pasta da Educação. O parlamentar ressaltou, entretanto, que ainda não houve nenhum convite formal por parte do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), neste sentido.
Durante seu mandato como deputado federal, o parlamentar foi muito atuante nos temas relacionados a Educação no Brasil. Presidiu a comissão de aprovação do Marco Regulatório de Ciência, Tecnologia e Inovação e a comissão mista que ampliou o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). Também apresentou o projeto de lei que inclui, entre as diretrizes e bases da educação nacional, o Programa Escola sem Partido. Foi presidente da comissão que aprovou a reforma do Ensino Médio.
Izalci criou o cheque-educação, um programa que aproveita as vagas ociosas nas escolas particulares e as oferece para alunos carentes com um desconto que varia de acordo com a disponibilidade da escola e da capacidade de pagamento da família, que inspirou o Programa Universidade para Todos (ProUni). Apresentou um dos projetos denominados escola sem partido, o de nº 867/2015.
O governador eleito de São Paulo, João Doria, que é hoje uma das principais lideranças do PSDB no país, e que apoiou Jair Bolsonaro à Presidência da República, é um dos principais apoiadores e incentivadores do nome de Izalci para comandar a Educação no país. O senador eleito conta também com o apoio da bancada da Frente Cristã no Congresso Nacional.
Izalci afirmou que investir na Educação é uma das suas principais prioridades, e que infelizmente nem todo mundo pensa assim.
Indagado se o PSDB teria algum óbice quanto à escolha do seu nome, o senador destacou que não há, mesmo porque o próprio governador eleito de São Paulo, João Doria, apoiou o nome de Bolsonaro a Presidência da República e que as escolhas que o presidente tem feito, independe da filiação partidária, levando-se em conta em primeiro lugar o perfil técnico e não a legenda partidária.
Caso se confirme o nome de Izalci Lucas para a Educação, o primeiro suplente de senador Luís Felipe Belmonte (PSDB), assume a cadeira. Belmonte é advogado, empresário bem-sucedido, casado com a deputada eleita Paula Belmonte (PPS). Tem bom trânsito tanto na esfera federal quanto no âmbito do Distrito Federal.

Da Redação do Agenda Capital

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade