banner

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

author photo


Médicos cubanos enviam carta a governo brasileiro: “Não somos lixo”
Profissionais que atuavam em áreas de população indígena escreveram ao ministro da Saúde e pedem para ficar no Brasil
Com um rádio amador nas mãos, o médico tentava orientar à distância um enfermeiro sobre como tratar lesões e reconhecer sintomas de doenças que acometiam a população indígena em lugares remotos do Amazonas. Essa era a realidade de locais como o município de São Gabriel da Cachoeira, fronteira com a Colômbia, antes da chegada dos profissionais cubanos que atuavam pelo programa Mais Médicos. São Gabriel da Cachoeira é o local mais indígena do Brasil. Sua população é composta por 70% de povos tradicionais de diferentes comunidades ocupando os seus 109,185 km² de extensão.
Após declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), o governo cubano decretou o fim da parceria firmada com o programa Mais Médicos e a falta de assistência voltou a ser uma realidade. Profissionais que atendiam populações indígenas no Brasil fazem apelo ao Ministério da Saúde pela continuidade do serviço nessas áreas.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade