( 00:00:00 )

domingo, 23 de dezembro de 2018

author photo

Tsunami deixa 168 mortos na Indonésia
Equipes de busca e resgate estão procurando sobreviventes. Últimas informações confirmam 168 mortos, 745 feridos e 30 desaparecidos em três regiões.
 
Zilta Marinho

Agência France Presse
Após uma erupção vulcânica, um tsunami matou pelo menos 168 pessoas quando chegou, sem aviso, às praias ao redor do Estreito de Sunda, na noite de sábado, provocando destruição e pânico.
Centenas de edifícios foram destruídos pela onda, que atingiu a costa sul de Sumatra e a parte ocidental de Java por volta das 21h30 (14h30 de Brasília) após a erupção de um vulcão conhecido como “criança” do lendário Krakatoa.Vulcão Ana Krakatoa localizado no centro do Estreito de Sunda
Um vídeo dramático postado nas mídias sociais mostrou uma parede de água caindo repentinamente em um concerto ao ar livre do grupo pop “Seventeen” – lançando membros da banda para fora do palco e depois inundando a platéia. Segundo o vocalista Riefian Fajarsyah o baixista e o gerente de estrada foram mortos.
Nas áreas costeiras mostram uma trilha de árvores desenraizadas e detritos espalhados pelas praias. Um conjunto de telhados de aço corrugado, madeira e escombros foi arrastada para o interior da praia de Carita, local popular de passeios de um dia na costa oeste de Java.
Segundo narrativas de sobreviventes qque estavam nessa praia, quando a onda bateu, uma onda repentina de água mergulhou o ponto turístico na escuridão.
Erro InicialAs autoridades dizem que o tsunami pode ter sido provocado por uma onda de maré anormal devido a uma lua nova e a um deslizamento submarino após a erupção do Anak Krakatoa, que forma uma pequena ilha no Estreito de Sunda, entre Java e Sumatra.
“A combinação causou um tsunami repentino que atingiu a costa”, disse Nugroho, acrescentando que a agência geológica da Indonésia está trabalhando para determinar exatamente como isso aconteceu. Ele acrescentou que o número de mortos provavelmente aumentaria. Moradores em pânico, segurando lanternas, fugiram para um lugar mais alto.
As autoridades indonésias inicialmente alegaram que a onda não era um tsunami, mas sim uma onda de maré e pediram ao público que não entrasse em pânico. Nugroho mais tarde pediu desculpas pelo erro no Twitter, dizendo que, como não houve terremoto, foi difícil determinar a causa do incidente desde o início. “Se houver um erro inicial, sentimos muito”, escreveu ele.
A onda inundou partes da costa ao redor do Estreito de Sunda, mas foi mais danosa no distrito de Pandeglang, na ponta ocidental de Java, onde pelo menos 33 pessoas morreram e 491 ficaram feridas.
Três pessoas morreram mais ao norte em Serang, enquanto sete foram mortas em South Lampung, na ilha de Sumatra.
Equipamentos pesados ​​estavam sendo transportados para áreas atingidas para ajudar na busca de vítimas, enquanto foram sendo organizados postos de evacuação e cozinhas públicas foram sendo montadas para evacuados.
Abu Salim, membro do grupo de voluntários do desastre de Tagana, disse a Agência France Presse que ajudou a evacuar as vítimas na província de Banten.”Nós evacuamos as vítimas que morreram e ficaram feridas, nós as levamos para clínicas de saúde … A maioria delas sofria de ossos quebrados”, disse ele, acrescentando que teme que mais pessoas estejam desaparecidas.
Embora relativamente raras, as erupções vulcânicas submarinas podem causar tsunamis devido ao deslocamento súbito de água ou à falha do declive, de acordo com o Centro Internacional de Informações sobre Tsunamis.
Anak Krakatoa é uma pequena ilha vulcânica que emergiu do oceano meio século após a mortal erupção de 1883 em Krakatoa, que matou mais de 36.000 pessoas. De acordo com a agência geológica da Indonésia, a Anak Krakatoa vinha mostrando sinais de atividade intensificada durante dias, expelindo nuvens de cinzas a milhares de metros no ar. O vulcão entrou em erupção novamente logo após as 9h da noite de sábado, informou a agência. Uma erupção ocorrida pouco antes das 16h do sábado durou cerca de 13 minutos e enviou nuvens de cinzas que subiam centenas de metros para o céu.
A Indonésia, uma das nações mais propensas a desastres na Terra, atravessa o chamado “Anel de Fogo” do Pacífico, onde placas tectônicas colidem e uma grande parte das erupções vulcânicas e terremotos do mundo ocorrem. Mais recentemente, na cidade de Palu, na ilha de Sulawesi, um terremoto e um tsunami em setembro mataram milhares de pessoas.
Em 26 de dezembro de 2004, um tsunami desencadeado por um terremoto submarino de magnitude 9,3 na costa de Sumatra, no oeste da Indonésia, matou 220.000 pessoas em países ao redor do Oceano Índico, incluindo 168.000 na Indonésia.
Anak Krakatoa é um dos 127 vulcões ativos que percorrem todo o comprimento do arquipélago.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior