( 00:00:00 )

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

author photo


De acordo com o último censo do IBGE a população de Planaltina é de 210 mil habitantes e somos o 4º colégio eleitoral de Brasília.
Por conta dessa robustez nos números, em especial o eleitoral, a cidade naturalmente tem vários grupos com engajamento políticos e a tendência é aumentar pois a cidade é uma das mais politizada do quadradinho.
Apesar de faltarem 3 anos para as próximas eleições em 2022, as articulações e aglutinações de grupos políticos já estão se iniciando a todo vapor, na verdade se não iniciar agora será difícil competir com os gigantes que já estão se articulando e se posicionando em partidos políticos e espaços no estado e na sociedade.
As próximas eleições para Deputado Federal será uma das mais concorridas de todos os tempos, são 8 vagas que serão disputadas por nomes e grupos de muito peso político e no financeiro, então não é difícil prever que muitos nomes conhecidos e com mandatos não irão conseguir se eleger à deputado federal.
REPORT THIS AD
Cláudio Abrantes, que tem como caminho natural concorrer à deputado federal, sabe que precisa desde ontem ampliar, fortalecer e garantir uma base forte em sua cidade.
Sabe também que precisa unir todos os grupos em prol da sua candidatura e, para conseguir, irá necessitar fazer mudanças estruturais na liderança de seu grupo atual.
É evidente que todos do atual grupo precisam deixar a vaidade de lado e abraçar aqueles que virão compor (abrir a roda).

Cláudio Abrantes sabe que na última eleição seu grupo de Planaltina não se saiu muito bem, poderia até dizer que foi pelo menos decepcionante o resultado de pouco mais de 6 mil dos 14.238 votos que teve ao todo.

Muitos motivos geraram essa votação na cidade do Deputado que possui mais de 100 mil eleitores.

O que é fato e notório que a truculência e a falta de educação de uma liderança do grupo que mora no Arapoanga, no mínimo, afugentou muitas pessoas (e afugenta até hoje) que poderiam ter feito a diferença para maior no resultado da campanha de 2018, imaginem a quantidade de votos pérfidos.

Porém essa matéria não tem intenção de dissecar os motivos do fracasso de 2018 (fica para uma próxima matéria que vai sair em breve), mas fazer uma análise do que está se desenhando em termos de articulação política pelo deputado Cláudio Abrantes.

É notório que o deputado tem tentado fazer algumas uniões, pois tem fotos circulando nos grupos de WhatsApp e redes sociais que são no mínimo intrigantes do ponto de vista político.

Duas fotos me chamaram a atenção:

Vamos analisar do ponto de vista do posicionamento político do passado dessas lideranças, claro que todos têm direito a redenção e ao perdão se for realmente o caso.

Uma União Impossível



Nessa foto tem duas lideranças uma do Arapoanga e outra do Vale do Amanhecer, que notoriamente não se dão bem, aliás são inimigos declarados e já trocam muitas farpas grossas nas redes sociais.

São vários os motivos dessa animosidade insuperável, a história é longa e também triste pois envolve um destruindo a amizade (de pai de consideração e filho) que o outro tinha com uma grande figura política da cidade.

Essa amizade que foi minada por fofocas que o outro criou, foi o ponto alto da separação, tornando essas liderança inimigas contundentes, inclusive a liderança do Vale do Amanhecer além de não apoiar o candidato do outro (Cláudio Abrantes) e foi apoiar um candidato a distrital de fora da cidade, pelo menos foi a acusação feito pelo outro.

Inclusive a liderança do Arapoanga postou na redes sociais um vídeo que mostrava a outra liderança do Vale do Amanhecer em uma reunião em apoio a um candidato a distrital de um candidato de fora da cidade.
A guerra não pára por aí, tanto que a liderança do Araponga acusa o outro de criar um movimento na cidade “Pró-umbigo”, pois visa apenas o interesse pessoal.
Essa ação do Cláudio Abrantes de tentar unir essas lideranças no mínimo controversas, é louvável e mostra o caráter conciliatório do Deputado que o tornou líder do governo na CLDF, afinal em 2022, vai precisar fazer uma grande união em torno de seu nome.

Mas eu diria que esta sim seria uma união impossível e poderia causar um estrago enorme no grupo do Deputado, que está no quarto mandato, pois conseguiu se eleger três vezes e um como suplente, é sinal que há sintonia no grupo e uma boa liderança do Cláudio Abrantes.

Uma união possível



REPORT THIS AD
É inegável a atitude proativa do Deputado de fazer uniões, essa foto mostra sim uma união que faria muito por Planaltina e o Araponga.

De um lado temos Aluízio, uma liderança de peso no Arapoanga que fez um trabalho incrível de qualificação profissional na região, proporcionando emprego e renda para muitas famílias.

Aluízio é empresário do ramo imobiliário que atua em toda região norte.

Aluízio, Hélio Rosa empenhados na reabertura do Frigorífico que vai gerar emprego e renda para 600 famílias na região do Arapoanga e Planaltina
Ele tem se empenhado em reabrir na região próximo ao Arapoanga um frigorífico que vai empregar direta e indiretamente pelo menos 600 pais de família.
Atualmente, ele é Secretário de Empreendedorismo do Conselho de Desenvolvimento do DF e RIDE (CDDF).
Do outro lado tem, o empresário fintech Hélio Rosa com um currículo invejável na gestão pública com MBA em Administração Pública Gerência de Cidades, consultor territorial, ambiental e de regularização fundiária. Helio é vice-presidente do CDDF.
Ambos já trabalham nos bastidores a aprovação da RA do Arapoanga/Vale do Amanhecer e adjacências.

Hélio Rosa e o Aluízio são apoiadores de primeira hora do Governador Ibaneis e também do deputado Cláudio Abrantes.

Comparações das uniões

Fazendo uma uma comparação simplista entre essas duas uniões, e qual será mais benéfica para Planaltina e o Arapoanga.

Não estou fazendo críticas ao individual, pois todos nesse aspecto devem ter o seu valor.

Na união impossível, provavelmente irão gerar conflitos no grupo do Cláudio Abrantes, pois os fatos que geraram a briga são no mínimo irreconciliáveis
Seria um união forçada, um barril de pólvora que explodiria mais cedo ou mais tarde e o estrago seria gigante.

A união possível com duas lideranças agregadoras que estão em sintonia com as necessidades de Planaltina e do Arapoanga e toda a região de 23 mil hectares, trazendo o conhecimento e a disposição para contribuir e agregar vários segmentos, além de coordenarem projetos de desenvolvimento para toda aquela nova região administrativa.

Fotos: Internet/redes sociais

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior