domingo, 1 de setembro de 2019

author photo

Mulher abriu mão de indenização de R$ 20 mil pela chance de dar aula a seus agressores.

Durante cinco meses de 2017, a professora de matemática transexual Natalha Silva, 36, de Brasília (DF), ouviu calada os xingamentos diários vindos de um grupo de funcionários de uma pastelaria, localizada na rodoviária da cidade. "Eu passava por lá todos os dias para pegar o ônibus na volta para casa, como qualquer outra pessoa. Bastava chegar e as ofensas começavam", conta. Até que, no dia 26 de agosto, Natalha resolveu dar um basta e foi tirar satisfação. "Perguntei porque todas as vezes que eu passava faziam piadas sobre mim. Um dos funcionários respondeu: 'eu jogo piadinha quantas vezes eu quiser, seu viado'." Dos minutos seguintes, a professora só lembra de já estar derrubada 


your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA