Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Revista Época admite erro em reportagem sobre Heloisa Bolsonaro

Revista Época admite erro em reportagem sobre Heloisa Bolsonaro Época publicou na última semana reportagem na qual acompanhou a rotina de ...


Revista Época admite erro em reportagem sobre Heloisa Bolsonaro
Época publicou na última semana reportagem na qual acompanhou a rotina de trabalho da esposa do deputado federal Eduardo Bolsonaro
Depois da repercussão negativa após a publicação da reportagem "O coaching on-line de Heloisa Bolsonaro: as lições que podem ajudar Eduardo a ser embaixador" na revista Época, o Conselho Editorial do Grupo Globo emitiu uma nota nesta segunda-feira (16) para reconhecer que o texto foi um erro.
Na reportagem em questão, um jornalista da Época acompanhou o curso de coaching da esposa do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Heloisa Bolsonaro, e levou a público os acontecimentos vivenciados ao lado dela.
“Como toda atividade humana, o jornalismo não é imune a erros. Os controles existem, são eficientes na maior parte das vezes, mas há casos em que uma sucessão de eventos na cadeia que vai da pauta à publicação de uma reportagem produz um equívoco", lamentou o Grupo Globo, responsável pela revista.
"A Época se norteia pelos Princípios Editoriais do Grupo Globo, de conhecimento dos leitores e de suas fontes desde 2011. Mas, ao decidir publicar a reportagem, a revista errou, sem dolo, na interpretação de uma série deles", disse o comunicado.
Entre os erros apontados, o Grupo Globo cita o respeito à privacidade das pessoas, sejam elas celebridades, artistas, políticos, autoridades religiosas, servidores públicos em cargos de direção, atletas ou líderes empresariais.
"Aspectos de suas vidas privadas podem ser relevantes para o julgamento de suas vidas públicas e para a definição de suas personalidades e estilos de vida e, por isso, merecem atenção. Cada caso é um caso, e a decisão a respeito, como sempre, deve ser tomada após reflexão, de preferência que envolva o maior número possível de pessoas", avalia o texto.
A nota também afirma que errou ao "tomar Heloisa Bolsonaro como pessoa pública ao participar de seu coaching on-line". "Heloisa leva, porém, uma vida discreta, não participa de atividades públicas e desempenha sua profissão de acordo com a lei. Não pode, portanto, ser considerada uma figura pública".