( 00:00:00 )

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

author photo

Suspeitos de matar padre tiveram informações privilegiadas, diz Polícia
Para os investigadores do latrocínio de pároco, acusados receberam informações privilegiadas sobre a rotina da vítima e o que havia de valor no cofre arrombado durante o crime. Ação conjunta entre a Polícia Civil do DF e de Goiás prende terceiro envolvido
Com a prisão nesta quarta-feira (25/9) do terceiro envolvido na morte do padre Kazimierz Wojno, 71 anos, conhecido como Casemiro, a 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) tenta identificar quem repassou aos acusados informações privilegiadas sobre a rotina da vítima e o que havia de valor na casa do sacerdote — a residência fica no mesmo terreno da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte. Esse suposto quinto envolvido — o quarto é um adolescente não identificado até o momento — , teria fornecido detalhes sobre o conteúdo do cofre arrombado pelos criminosos. Para auxiliar nas investigações da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), peritos analisam se será ou não necessário fazer uma reconstituição do latrocínio (roubo com morte)
Nesta quarta-feira (25/9), Daniel Souza da Cruz, 39 anos, foi detido durante uma operação conjunta da Polícia Civil de Goiás e do Distrito Federal. Ele estava escondido na residência de uma tia, no município goiano do Novo Gama. Alessandro de Anchieta Silva, 18, e Antônio Willyan Almeida Santos, 32, estão presos desde terça-feira. O último envolvido, um adolescente, ainda é procurado. A Delegacia da Criança e do Adolescente 1 (Asa Norte) auxiliará nas buscas.
Segundo o delegado-chefe da 2ª DP, delegado Laércio Rossetto, as informações dadas por Daniel em depoimento apontam Antônio como mentor do crime. “Ele teria recebido as informações privilegiadas sobre a rotina do padre e ofereceu R$ 5 mil para cada participante da ação. O grupo escolheu cometer o assalto no sábado, por ser um dia com menos movimento na paróquia, mas com arrecadação boa em dinheiro de dízimos e ofertas”, explicou. Antônio foi o único a se recusar a dar declarações à Polícia Civil. “Está exercendo o direito de ficar calado. Mas isso não atrapalha as investigações”, disse Rossetto.
A partir do relato, a polícia concluiu que os bandidos tinham a intenção de furtar os objetos da casa durante a missa; por isso, chegaram no local por volta das 17h. “Eles não queriam ser interrompidos e começaram o trabalho de arrombamento da porta. Isso está constatado pela perícia”, revelou o delegado. Como não conseguiram, aguardaram e renderam o caseiro José Gonzaga da Costa, 39, primeira pessoa a chegar ao canteiro de obras.
Após finalizar a missa, o padre, ainda de batina, foi rendido e resistiu, segundo relato de Daniel. Alessandro era quem estava com a arma de fogo e que teria enrolado o arame liso no pescoço da vítima. “O sacerdote e o funcionário da igreja foram mantidos juntos, em pé, na obra em frente à casa. Alessandro ficou de guarda das vítimas, assim como o quarto envolvido (adolescente). Eles também foram responsáveis por avaliar objetos de valor no local que pudessem ser roubados”, detalhou Rossetto.
Ainda de acordo com o depoimento, Casemiro teria demonstrado resistência passiva, dizendo aos envolvidos que eles não precisavam agir com violência. Esse pedido teria irritado Alessandro. “Em um momento, o padre caiu em cima do Alessandro (desequilibrou-se), que começou a apertar o arame no pescoço da vítima até que ela ficasse inconsciente. Contudo, a hipótese de que o pároco foi morto para não reconhecer o grupo continua”, frisou. Para conseguir determinar com precisão o roubo na residência, os policiais esperam análises periciais em dois HDs de câmeras de segurança da residência.
Apreensões
Do cofre, o quarteto levou dinheiro, moedas de ouro, relógios de luxo, além de cheques. Não foi possível, ainda, quantificar o valor roubado. Antes de deixarem o local, os criminosos mexeram na geladeira e fizeram um lanche. “As mochilas saíram lotadas de coisas. Só não levaram as obras de arte porque eram grandes”, completou Rossetto.
Imagens de câmeras de segurança mostram a fuga dos envolvidos. Os homens aparecem com mochilas, e um deles aparenta carregar um notebook nas mãos — dois aparelhos eletrônicos foram apreendidos pela polícia na terça-feira. Todos fugiram a pé e seguiram caminhos diferentes até pegar um ônibus para Valparaíso (GO). Um Opala usado pelos criminosos no trajeto entre Valparaíso e Santa Maria, antes do crime, foi apreendido na tarde desta quarta-feira (25/9) e passa por perícia — o veículo pertence a Antônio. O revólver usado pelos bandidos ainda não foi encontrado.
Crueldade
O líder religioso foi morto no sábado depois de uma missa. O quarteto rendeu o sacerdote no canteiro de obras onde são construídos um auditório e salas para a igreja. Os criminosos permaneceram no local por aproximadamente três horas. O laudo cadavérico confirmou que o religioso polonês morreu por asfixia. Além do pároco, um dos caseiros, José Gonzaga, também foi rendido.
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior