sexta-feira, 18 de outubro de 2019

author photo

Moradores do Entorno enfrentam verdadeiro calvário no transporte público
Das sete empresas responsáveis por atender a população dos municípios goianos vizinhos a Brasília, apenas uma tem concessão. Os governos do Distrito Federal e de Goiás estudam criar integração entre as duas unidades da Federação
Moradores de municípios goianos vizinhos a Brasília são reféns da precariedade do transporte público da região. Cerca de 110 mil pessoas saem diariamente dessas cidades para chegar à capital para trabalhar ou estudar. Contudo, para fazer o trajeto, é necessário enfrentar ônibus caindo aos pedaços, com passagens caras e sem horário certo para circular, além do trânsito intenso e congestionado das vias de acesso ao Distrito Federal. Apesar dos problemas, a modalidade do serviço — interestadual e semiurbano — engessa investimentos dos governos do DF e de Goiás.
A falta de investimento das próprias empresas responsáveis pelo transporte dos municípios se dá, também, pela falta de concessão pública. Das sete companhias que atendem a essas regiões, apenas uma passou por processo licitatório. As demais funcionam por meio de autorização especial — de caráter emergencial — desde 2008. Em nota oficial, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que elas foram selecionadas por meio de chamamento público, porque outras instituições deixaram o certame.
A ANTT frisou que, atualmente, estuda a realização de nova licitação para as empresas sem concessão. Além disso, ressaltou que as companhias de transporte obedecem a resoluções estabelecidas pelo órgão. “Todos os veículos utilizados na operação de serviços semiurbanos possuem Certificado de Segurança Veicular (CSV), emitidos conforme normativos do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e com autenticidade verificável por meio do Sistema Nacional de Controle e Emissão do Certificado de Segurança Veicular”, reforçou o texto.
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA