quinta-feira, 28 de novembro de 2019

author photo

Em noite de gala no Maracanã, Flamengo goleia o Ceará com show de Bruno Henrique e levanta a taça de Campeão Brasileiro.
O Flamengo comemorou com uma grande vitória de virada a conquista da Copa Libertadores e do Campeonato Brasileiro, ocorridas no fim de semana. No lotado Maracanã, como de hábito nos jogos do time em 2019, a turma de Jorge Jesus derrotou o Ceará por 4 a 1 nesta quarta-feira e deu sequência a uma boa fase que parece infinita.
O grande astro da noite foi Bruno Henrique, que anotou três gols Vivendo a melhor fase de sua vida, o ex-jogador do Santos chegou a 21 gols no Brasileirão e se tornou uma séria ameaça a Gabriel, que lidera a artilharia do campeonato com apenas um tento a mais – o herói da conquista da Libertadores não jogou por estar suspenso. Após o apito final, ainda teve mais comemoração, já que o Flamengo recebeu as medalhas e o troféu de campeão brasileiro.
De bem com a vida, e com a torcida a empurrá-lo, o Flamengo fez desde o início da partida o que realiza de melhor: atacou o adversário com fúria. Mesmo sem alguns titulares, o campeão encurralou os cearenses e criou boas oportunidades de gol.
Willian Arão esteve próximo de marcar de cabeça aos sete minutos e Arrascaeta acertou um chute no travessão aos 15. O jogo pertencia ao Flamengo e o gol rubro-negro parecia questão de tempo, mas um contra-ataque mudou o rumo dos acontecimentos. Aos 26, Felipe Silva passou como quis por Rodinei e chutou para a pequena área, onde Thiago Galhardo mandou a bola para o gol.
A trave salvou o Ceará de levar o empate no primeiro tempo quando Bruno Henrique mandou um ótimo chute de fora da área. Depois de um providencial desvio do goleiro Diogo Silva, a bola correu por cima da linha de gol e não entrou.
O que era um domínio absoluto dos campeões do Brasil e da América do Sul virou massacre depois do intervalo. A bola raramente saía da área do Ceará e, apesar da comovente dedicação dos defensores visitantes, suportar tanta pressão por tanto tempo se mostrou uma missão impossível.
A resistência cearense finalmente foi batida aos 19 minutos. O jovem Lincoln, que entrou no jogo no lugar de Diego, ajeitou de cabeça para Bruno Henrique e o atacante aproveitou um segundo de indecisão de Diogo Silva para mandar a bola para a rede.
Àquela altura, nem mesmo os mais otimistas torcedores do Ceará acreditavam que seria possível segurar o empate até o fim. E não foi mesmo. Aos 28, Bruno Henrique apareceu de novo para virar o placar, desta vez aproveitando um cruzamento de Arrascaeta. Aos 40, o terceiro de Bruno: o goleiro rebateu uma falta cobrada pelo meia uruguaio e o atacante não perdoou o erro.
Nos acréscimos, aproveitando o compreensível desânimo dos jogadores do Ceará, Vitinho marcou o quarto gol do Flamengo e fez a noite de festa rubro-negra terminar em goleada.
Agora com 84 pontos, o Flamengo voltará a jogar no domingo, quando visitará o Palmeiras no Allianz Parque. Derrotado, o Ceará parou nos 37 pontos, em 16º lugar, e torce para o Cruzeiro não vencer o CSA nesta quinta ou entrará na zona de rebaixamento do Brasileirão. Seu próximo compromisso será no sábado, no Castelão, diante do Athletico-PR.
FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 4 X 1 CEARÁ
FLAMENGO –
Diego Alves; Rodinei, Rodrigo Caio, Rhodolfo e Renê; Willian Arão, Diego (Lincoln), Everton Ribeiro e Arrascaeta; Reinier (Vitinho) e Bruno Henrique. Técnico: Jorge Jesus.
CEARÁ – Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Eduardo Brock e João Lucas (Leandro Carvalho); Fabinho, Ricardinho (Mateus Gonçalves), Pedro Ken e Felipe Silva; Chico e Thiago Galhardo (Tiago Alves). Técnico: Adilson Batista.
GOLS – Thiago Galhardo, aos 26 minutos do primeiro tempo; Bruno Henrique, aos 19, aos 28 e aos 40, e Vitinho, aos 46 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO – Paulo Roberto Alves Júnior(PR).
CARTÕES AMARELOS – Rodrigo Caio e Vitinho (Flamengo); Valdo (Ceará).
CARTÃO VERMELHO – Samuel Xavier (Ceará).
RENDA – R$ 5.377.084,00.
PÚBLICO – 67.539 torcedores presentes.
LOCAL Maracanã, no Rio (RJ).
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA