terça-feira, 26 de novembro de 2019

author photo

O triunfo levou o Fluminense aos 38 pontos, em 15º lugar, com dois a mais do que o Cruzeiro, com 36, em 17º.
O Fluminense respirou na briga contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Com um gol de Yoni González no começo da etapa final e bastante sofrimento, superou o CSA por 1 a 0, no Rei Pelé, na conclusão da 34ª rodada, e deixou a zona de rebaixamento, empurrando o Cruzeiro para o grupo da degola.
O triunfo levou o Fluminense aos 38 pontos, em 15º lugar, com dois a mais do que o Cruzeiro, com 36, em 17º. O CSA, que perdeu a oitava partida seguida, vem logo atrás, com 29 pontos, e está praticamente rebaixado, pois sua desvantagem para o primeiro time fora da zona de rebaixamento, o 16º Ceará, está em oito pontos.
O respiro para o Fluminense veio do seu artilheiro, o colombiano Yoni, que agora soma 17 gols marcados pelo clube nesta temporada, após fazer de cabeça, em mais uma atuação marcada pela intensa troca de passes, mas também por poucas oportunidades claras da sua equipe. Já o CSA teve a velocidade de Apodi e as jogadas para Ricardo Bueno como alternativas para buscar a vitória, mas voltou a falhar.
Os times voltarão a jogar pelo Brasileirão na quinta-feira, pela 35ª rodada, quando o CSA será visitante contra o Cruzeiro, no Mineirão, enquanto o Fluminense atuará no Maracanã diante do Palmeiras.
O JOGO – A primeira metade da etapa inicial no Rei Pelé foi fraca, com erros das duas equipes, mas de algum domínio do Fluminense, que teve maior controle da posse e criou as principais chances de gol, como aos 11 minutos, quando Daniel finalizou livre após bom cruzamento de Caio Henrique, mas para fora. E também aos 27, quando Ganso, da entrada da área, acertou a trave, após finalização da entrada da área.
Mas o Fluminense estava longe de brilhar, pois era pouco objetivo quando tinha a posse de bola no campo de ataque. E, especialmente no fim da primeira etapa, sofreu com a velocidade de Apodi pela ponta esquerda. Na principal chance do CSA, aos 43, em contra-ataque, ele acionou Ricardo Bueno dentro da área. O centroavante parou primeiro no goleiro Marcos Felipe e depois na trave.
Após o desempenho irregular no primeiro tempo, o Fluminense começou a sair do sufoco logo no começo da etapa final. Aos quatro minutos, Marcos Paulo cruzou da esquerda para área e Yony González testou firme para o chão, no canto direito da meta defendida por Jordi. Colocou, assim, o seu time em vantagem e encerrou um jejum de dez jogos sem gols.
A vantagem do Fluminense pareceu abalar o CSA, que deu espaços para o Fluminense. O time desperdiçou duas chances praticamente seguidas com Marcos Paulo e Caio Henrique, o que manteve o jogo indefinido. O cenário se ampliou com as substituições realizadas pelo técnico Argel Fucks, que abriram ainda mais o time alagoano Ainda assim, encontrava dificuldades para criar chances claras
Isso foi acontecer mais na parte final como aos, aos 32 e aos 38 minutos, quando Jonatan Gomez parou no goleiro Marcos Felipe, e também aos 35, em cobrança de falta central de Rafinha. Com o desespero do CSA, os espaços começaram a aparecer para o Fluminense, que perdeu chances com Caio Henrique e Nenê nos últimos minutos. Abusou da sorte, mas dessa vez acabou não fazendo falta.
FICHA TÉCNICA:
CSA 0 X 1 FLUMINENSE
CSA – Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Euller (Rafinha); João Vitor, Jean Cléber (Alisson Safira), Jonatan Gómez, Apodi e Bruno Alves (Warley); Ricardo Bueno. Técnico: Argel Fucks.
FLUMINENSE – Marcos Felipe; Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri (Airton), Allan, Daniel (Nenê) e Ganso; Yony González e Marcos Paulo (Pablo Dyego). Técnico: Marcão.
GOL – Yoni González, aos quatro minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO – Luiz Flavio de Oliveira (Fifa/SP).
CARTÕES AMARELOS – Allan, Apodi, Yuri e Alan Costa.
RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.
LOCAL – Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA