Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

VÍDEO: Tumulto assusta frequentadores do ParkShopping na noite desta quinta

VÍDEO: Tumulto assusta frequentadores do ParkShopping na noite desta quinta Polícia Militar recebeu informações de que tiros foram dispara...


VÍDEO: Tumulto assusta frequentadores do ParkShopping na noite desta quinta
Polícia Militar recebeu informações de que tiros foram disparados, mas descartou essa hipótese
Três adolescentes causaram tumulto e assustaram os frequentadores do ParkShopping, na noite desta quinta-feira (14/11). De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), os menores teriam assaltado um homem, próximo à Rodoviária Interestadual e a confusão teria chegado ao shopping, após a vítima tentar fugir.
A PM recebeu informações de que houve disparos dentro do shopping. No entanto, os policiais descartaram essa possibilidade, uma vez que nenhuma arma foi encontrada com os jovens.


  
De acordo com a PMDF, a vítima estava sendo agredida no interior do shopping, quando os seguranças particulares detiveram os agressores e chamaram a polícia. Os adolescentes foram apreendidos e encaminhados à Delegacia da Criança e do Adolescente I (DCA I), na Asa Norte.
Testemunhas
Marcella Souza estava em um restaurante do shopping quando a confusão começou. A dona de casa de 28 anos contou que o tumulto pegou quem jantava de surpresa, e o desespero foi geral. “Eu vi um pessoal correndo, todo mundo desesperado se abaixando, foi assustador.”
A moradora de Águas Claras ainda completou que ouviu boatos de que se tratava de um tiroteio, porém, não ouviu tiros: “Eu não ouvi nada (de barulho de tiros). O garçom do restaurante depois falou que tinha sido um briga lá fora e as pessoas foram para o shopping, só isso”.
Apesar do susto, que segundo Marcella levou até algumas pessoas às lágrimas, a situação começou a se acalmar às 22h13. “Estávamos eu, meu esposo, meu irmão e meu pai. Tinha crianças no local, eu vi uma moça chorando, mas depois a situação se acalmou, os garçons serviram água para as pessoas”, contou.
O engenheiro civil Leonardo Altafin, 35, foi outro que estava no local no momento da confusão. Segundo o morador de Águas Claras — que também não ouviu tiros —, o tumulto foi generalizado: “Eu estava de frente para a saída, e uma multidão de pessoas passou correndo, gritando, muita gente gritando, e as pessoas do próprio restaurante foram pro chão trancando a porta, e logo um tempo depois uma pessoa informou que houve uma confusão e que as pessoas poderiam ficar calmas. Eu perguntei pros seguranças para buscar alguma informação, mas eles não sabiam informar muito”.
Meire Valina, 50, professora aposentada jantava com as quatro filhas, o genro e o marido, quando foi surpreendida pela confusão. “Estávamos confraternizando, quando ouvimos um barulho de gente correndo nessa ala (Entrada C) e as pessoas começaram a falar ‘tiroteio’. Pediram pra gente deitar no chão, então, todo mundo deitou. Eles fecharam as portas, as pessoas começaram a chorar, as mulheres que estavam do lado de fora, com carrinhos de bebê entraram. Mas a gente não chegou a ver ninguém com arma”, disse.
Apesar de não ter visto os homens envolvidos no tumulto, Meire conta que ficou assustada com o anúncio feito pelo dono do restaurante onde estava. “Ele disse, no microfone, que tinha havido um tiroteio. Que uma pessoa tinha trocado tiros com a polícia. No entanto, teria sido do outro lado do shopping”, relatou a professora.
Vendedor de uma loja do shopping, Gabriel Mesquita, 23 anos, conta que a confusão gerou pânico e o estabelecimento onde trabalha virou refúgio para os frequentadores do local. "Eu só vi o pessoal correndo e gritando ‘é tiro’. As pessoas viam os outros correndo e corriam junto. Aí a confusão ficou grande. Tinha gente descendo pela escada rolante que era pra subir. Muitas pessoas entravam na loja com medo", disse o vendedor.
Shopping
Em nota, a administração do shopping também negou a ocorrência de tiros no local. Segundo a empresa, as portas do centro de compras estavam fechadas no momento da confusão.