Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

Líder do PCdoB na Câmara nega que partido mudará de nome e cor Segundo o deputado Daniel Almeida, o PCdoB lançou um movimento que busca re...



Líder do PCdoB na Câmara nega que partido mudará de nome e cor
Segundo o deputado Daniel Almeida, o PCdoB lançou um movimento que busca reunir novas lideranças políticas, mas que a legenda seguirá existindo com o mesmo nome, cor e siglas
Em 1° de dezembro deste ano, o partido lançou um documento para líderes e apoiadores que informava sobre a criação do Movimento 65(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)Após especulações de que o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) mudaria de nome, cor e abriria mão do símbolo da foice e do martelo, deputados da sigla se manifestaram para desmentir os rumores.
Na tarde deste sábado (28/12), o PCdoB entrou na lista dos assuntos mais comentados do Twitter, após ser noticiado que a sigla adotaria como novo nome a expressão Movimento 65, em uma estratégia para obter mais votos nas próximas eleições. Também haveria a troca da cor vermelha pelas verde e amarela.
A notícia chegou a ser compartilhada até entre políticos, como os deputados federais Carlos Jordy (RJ), Carla Zambelli (SP) e Filipe Barros (PR), todos do PSL. "O PCdoB não vai mais usar o 'comunista' em seu nome nem a foice e o martelo e substituirão o vermelho pelo verde e amarelo. É a ideologia de gênero aplicada. Podem se travestir do que quiserem, na hora H a população saberá quem são e o que defendem", comentou Barros pelo Twitter.
Desmentido Com a repercussão nas redes sociais, os deputados do partido desmitiram as especulações. "O Movimento 65 é um movimento que reforça a identidade do partido e o número do partido, que é 65. Qualquer debate sobre mudança no programa, no estatudo da sigla, nos símbolos, qualquer coisa desse tipo, não está em debate no partido", afirmou ao Correio o líder da legenda na Câmara dos Deputados, Daniel Almeida (BA).
Segundo ele, o Movimento 65 tem o objetivo de atrair lideranças políticas, não necessariamente ligadas ao partido, e, assim, fortalecer a esquerda e a identidade do PCdoB. "O movimento extrapola os limites do partido. São pessoas que têm identidade com a liderança do partido, estão no movimento social e se identificam. Então, decidimos lançar o movimento para dar mais espaço a elas", explicou Almeida.
Em 1° de dezembro deste ano, o partido lançou um documento para líderes e apoiadores que informava sobre a criação do movimento. A ideia é tentar atrair novos apoiadores para as eleições municipais de 2020 e abrir uma frente contra o partido do presidente Jair Bolsonaro.
"O PCdoB, legenda quase centenária, com rico legado na construção do Brasil e do acervo de conquistas do povo, se põe em ação para participar ativamente das eleições de 2020 com uma face própria e renovada. Dispõe-se a construir um movimento eleitoral e cívico amplo, de caráter frentista — Movimento 65 —, um lugar para os lutadores e lutadoras das causas da classe trabalhadora e do povo, intelectuais e agentes culturais progressistas, líderes da sociedade civil. Todos(as) terão lugar no Movimento 65 para se candidatar nas eleições municipais de 2020", diz a nota (veja na íntegra abaixo).
Nota do PCdoB na íntegra
A poesia de Carlos Drummond de Andrade proclamou, certa feita, que “as cidades podem vencer”. Muitas vezes o destino de um país depende da força e da resistência das cidades, da consciência e tomada de posição dos cidadãos e cidadãs.
Esta imagem bem se encaixa com as eleições municipais de 2020. Transcorrido praticamente um ano de governo Jair Bolsonaro, da extrema-direita, dele se pode afirmar resumidamente que se trata de um governo inimigo da democracia, carrasco do povo e traidor de nosso país.
Nesse ambiente, a partir das cidades, com as eleições municipais, poderá emergir um importante capítulo da resistência democrática, popular e patriótica.
Com esta visão, o PCdoB se dirige a seus filiados(as), militantes e amigos(as), eleitores(as), às forças progressistas, com a proposta de uma campanha que faça desembocar nas urnas a indignação e o rechaço do eleitorado à tragédia que tem sido o governo Bolsonaro.
Uma campanha que reacenda a esperança e dê respostas às aspirações da maioria da sociedade por cidades democráticas, sustentáveis, que a todos assegurem direitos como educação, cultura, saúde, emprego, segurança, moradia e transporte.
Jornada que resulte na vitória de alianças progressistas, democráticas e de esquerda. Vitória que, uma vez alcançada, impulsionará o Brasil na direção da democracia e do desenvolvimento soberano, da geração de empregos, da distribuição de renda e do resgate dos direitos do povo.
Tal esforço ganha mais relevância em uma conjuntura marcada pela vigência de uma legislação antidemocrática que visa à exclusão de partidos programáticos compromissados com a Nação e a classe trabalhadora – como o PCdoB – da vida legislativa e da gestão pública.
Essa conduta autoritária, de feição fascista, é bem visível no comportamento do presidente Bolsonaro que, reiteradamente, ameaça comunistas, socialistas, ativistas dos movimentos sociais e demais segmentos progressistas.
O PCdoB, legenda quase centenária, com rico legado na construção do Brasil e do acervo de conquistas do povo, se põe em ação para participar ativamente das eleições de 2020 com uma face própria e renovada.
Dispõe-se a construir um movimento eleitoral e cívico amplo, de caráter frentista — Movimento 65 —, um lugar para os lutadores e lutadoras das causas da classe trabalhadora e do povo, intelectuais e agentes culturais progressistas, líderes da sociedade civil. Todos(as) terão lugar no Movimento 65 para se candidatar nas eleições municipais de 2020.
Que todos e todas venham compartilhar conosco a legenda 65 como símbolo democrático, patriótico e popular, destinado a dar pluralidade à esquerda, atender aos anseios do povo por uma vida melhor e defender o nosso país.
Ou seja: um partido a serviço do povo brasileiro. Uma legenda democrática das pessoas comuns, das novas lideranças que precisam ter representatividade política em todos os âmbitos da vida social. Socialistas, humanistas, patriotas, integrantes de todas as religiões, das organizações sociais e culturais que vierem a compartilhar conosco, com base nessa plataforma e em acordos pactuados de direitos, os mandatos de representação que alcançarmos.
Queremos ser a alternativa – em especial para mulheres, jovens, negros e mestiços – contra toda forma de discriminação política, social, de cor da pele, de orientação sexual.
Queremos representar o povo brasileiro!
Conclamamos: Venham para o Movimento 65 (o número da nossa legenda)!
Um movimento por cidades democráticas, sustentáveis, por direitos, emprego, segurança e vida digna. Venha se candidatar por um partido idôneo, marcado pela honestidade e o rigor com a coisa pública! Venha fazer parte de uma saudável, construtiva e combativa militância, de uma legenda que sempre esteve do lado do povo!
O Brasil precisa de uma oposição forte, ampla e vigorosa. E, para tal, necessita de um partido como o PCdoB, que sempre coloca os interesses do país e os direitos do povo em primeiro lugar.
A democracia é importante para o Brasil e o PCdoB é indispensável para a democracia! E precisa de você para ser ainda mais forte!
As cidades e o povo podem vencer!
São Paulo, 1º de dezembro de 2019
Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)

Nenhum comentário