Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

A longa jornada noite adentro por vaga em escola

A longa jornada noite adentro por vaga em escola Cerca de 30 mil pessoas são esperadas para efetivar a inscrição no sistema educacional do...


A longa jornada noite adentro por vaga em escola
Cerca de 30 mil pessoas são esperadas para efetivar a inscrição no sistema educacional do Distrito Federal.
Hora de confirmar matrículas
Cerca de 30 mil pessoas são esperadas para efetivar a inscrição no sistema educacional do Distrito Federal
Inicia-se hoje a efetivação de matrículas para estudantes do Distrito Federal. Embora os interessados já tenham o local de estudo definido, ainda é preciso ir às respectivas escolas para confirmar a intenção de matrícula. A escolha agora deve ser feita entre os turnos matutino, vespertino ou noturno. Os inscritos entre outubro e novembro do ano passado para as vagas em unidades de ensino da rede pública têm até 14 de janeiro para se dirigirem aos colégios estipulados. No sábado e domingo (11 e 12), as escolas não funcionarão.
De acordo com a Secretaria de Estado de Educação do Governo do DF (SEE/GDF), cerca de 30 mil pessoas, que fizeram as inscrições no período determinado, devem ir às escolas no período delimitado. Se os inscritos não comparecerem às respectivas unidades de ensino, a matrícula será repassada a outros interessados no mesmo local e a realocação será feita.
Foi para não perder a matrícula para o 1º ano do Ensino Médio e ainda garantir que fossem efetivados no período matutino que quatro amigos de 14 anos decidiram acordar cedo no último domingo (5). Ainda no escuro, às 5h, os adolescentes Bruno Cardoso, Gustavo Costa, João Vítor Nunes e Robert Danilo Duarte já estavam com uma barraca armada em frente ao Centro de Ensino Médio (CEM) 01 de Brazlândia, referência na região em termos de aprendizagem.
“Cada vaga que vai ser ocupada aqui é por ordem de chegada e queríamos ser os primeiros. Depois que a gente chegou, começou a encher de pessoas atrás de nós, parece que só estavam esperando alguém começar”, afirmou Gustavo, responsável por incentivar os amigos para acamparem em frente à unidade de ensino, como acontece todos os anos no local. Ele estudava no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 02 da região.
“Como estamos entre amigos, nunca falta pai para trazer as comidas, então a gente reveza e liga para eles quando falta algo. Assim não fica pesado para ninguém”, explica o estudante. Outros dois colegas foram convidados por ele para chegarem cedo, mas, após duas horas do horário combinado, só foi possível conseguir posição posterior à de número 60.
220 pessoas pernoitaram em fila por vaga
Foto: Vitor Mendonca/Jornal de Brasilia

Ainda segundo a pasta, entre as unidades de ensino que compreendem o processo a ser efetivado durante os próximos sete dias, isto é, Educação Infantil – pré-escola, entre 4 e 5 anos –, Ensinos Fundamental, Médio e para Jovens e Adultos (EJA), “não há necessidade de fazer fila nas escolas, uma vez que todos os estudantes já têm vagas garantidas.”
Mas não há quem segure a fila formada por aqueles com a esperança de conseguir a matrícula no turno da manhã no CEM 01 de Brazlândia. Muitos enfrentaram chuvas de domingo à segunda pela manhã e, por esse motivo, a administração cedeu o Ginásio Poliesportivo Espelho D’Água para abrigar as famílias. Até o término desta edição, às vésperas do início das matrículas na unidade de ensino, 220 pessoas aguardavam a fila para tentar uma entre as 170 vagas disponibilizadas para o período matutino. Juntamente com o turno vespertino, são esperadas 406 confirmações de vaga no CEM 01.
Um dos responsáveis por organizar e fazer uma chamada dos que esperam na fila, da qual também compõe na centésima posição, é o vigilante Rafael Cordeiro, de 32 anos. Em posse de uma lista dos que pretendem uma vaga no matutino, o pai de César Moreira, 14, confere quem ainda está no local a cada três horas, conforme combinado. “Quem não responde a três chamados na hora de conferir a lista é automaticamente colocado para o fim da fila”, explica.
“Todo mundo prefere o horário da manhã, porque daí dá tempo de quem precisa fazer algum estágio, trabalho ou cursinho na parte da tarde. Se estudarem no período vespertino, às vezes não dá tempo de algo do tipo pelo fato de Brazlândia ser uma região distante; e as melhores oportunidades nas regiões mais próximas estão em Taguatinga ou Ceilândia”, conta o Rafael.
Às 5h30 de hoje, outra fila foi formada em frente a escola para começar a efetivação dos estudantes do 1º ano do CEM 01. De acordo com o diretor da escola, Vinicius Mota, 38 anos, são três fatores que, somados, geram a “tradição” das filas na unidade, que administra desde 2014.
“Primeiro, é cultural da comunidade formar as filas para conseguir efetivar a vaga dos filhos; em segundo lugar, porque é a única escola a oferecer o 1º ano do Ensino Médio em Brazlândia; e a terceira razão são os bons resultados da escola no ensino superior. Ano passado foram quase 90 alunos aprovados em universidades federais”, contou o diretor.

Nenhum comentário