Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

Túlio sangra dentro da própria coligação para prefeito de Águas Lindas de Goiás

ÁGUAS LINDAS| Túlio desiste ou segue sangrando? Desconfiança provoca debandada A candidatura a prefeito de Marcos Túlio (DEM) ainda é uma...


ÁGUAS LINDAS| Túlio desiste ou segue sangrando? Desconfiança provoca debandada


A candidatura a prefeito de Marcos Túlio (DEM) ainda é uma incógnita. A causa de tudo é uma condenação que o colocou na inelegibilidade. Desconfiança e incerteza atingem seus apoiadores
Armadilhas “plantadas” dentro da própria coligação, composta pelo DEM, PTB Avante, PSC, PDT e Pros, além de processos judiciais, podem inviabilizar de vez, a candidatura de Marcos Túlio (DEM) para a disputa eleitoral da Prefeitura de Águas Lindas de Goiás. Entenda o caso.
Na coligação que leva o nome de “Águas Lindas acima de tudo e Deus acima de Todos”, o jogo da esperteza política, feito pelos próprios aliados, pode implodir a aliança antes mesmo do dia 15 de novembro, data do pleito municipal.

Já não bastasse o festival de impugnações que ameaçam a candidatura, o democratas Marco Túlio teria detectado a primeira casca de banana jogada pelo PTB, principal parceiro da sua coligação, que tem como vice da chapa o Sargento Godói.

De acordo com uma resolução do PTB, a legenda está impedida de celebrar aliança com o DEM de Túlio.



No início, o ex-deputado Roberto Jefferson, dono do PTB Nacional, chegou a desautorizar a coligação do seu partido com o DEM, mas retrocedeu ao saber da insegurança jurídica da candidatura de Túlio.

Ele caindo, o substituto natural seria Godói. Neste caso o PTB não seria o “rabo do Dem”, como afirma Jefferson.

Para se precaver, caso isso aconteça, o pessoal do Túlio também armou arapucas no meio do caminho do PTB.

Na ata de criação da coligação, que os aliados não leram direito, ficou estabelecido nas entrelinhas, que em uma possível desistência do candidato do DEM, que tem pendências judiciais a serem julgadas no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) entraria em cena, não Godói, mas Evandro Rainha da Paz do Democratas.



Além da situação de desconfiança e desarranjos que permeiam a coligação Águas Lindas acima de tudo e Deus acima de Todos, a falta de recursos para botar a campanha na rua começa a provocar desalento e debandada de apoiadores.

Dos 98 candidatos a vereador, cinco já teriam abandonado a campanha de Túlio nas últimas 48 horas. A alegação é de que a aliança não está cumprindo com o prometido, como o de fornecer o material de campanha (santinho e gasolina). Vários resolveram caminhar por conta própria ou baterem em outras portas.

O Partido Democratas, até agora, não repassou um tostão do Fundo Eleitoral para as Eleições 2020 em Águas Lindas.

Do valor destinado a 11 legendas, que totaliza R$ 797,6 milhões, o DEM, partido de Túlio, teve direito R$ 120,8 milhões.

Um membro da direção estadual da legenda disse ao Radar-DF que o partido vai ajudar com dinheiro na disputa municipal apenas às quatro cidades mais importantes de Goiás. Pela ordem: Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis e Rio Verde.

Para aumentar o desânimo que estaria rondando a candidatura do DEM em Águas Lindas, a última pesquisa realizada pelo Instituto Real Time Big Data, (registro nº 7655), divulgada na manhã de ontem (13), jogou uma forte dose de desilusão na coordenação geral da campanha.

A pesquisa aponta que o médico Lucas Antonietti (Podemos) está com 27% das intenções de voto, enquanto Túlio aparece com 26%.

A 32 dias do pleito do dia 15 de novembro e vendo seu principal concorrente passando a frente, o QG da campanha do DEM ainda tem que responder à pergunta do eleitorado de Águas Lindas: Túlio desiste ou segue sangrando?

O questionamento gira em torno do processo nº 0603722-08.2018.6.09.0000 que coloca Marcos Túlio como inelegível, já que teve o diploma de 1º suplente de deputado estadual cassado em novembro 2019. Túlio perdeu de 7 x 0.

O colegiado entendeu que o político “não apresentou nenhum documento hábil para contrapor ou afastar a irregularidade na utilização do valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) em sua campanha de 2018” .

Que o valor “representa percentual elevado (cerca de 40%) em relação ao total de receita arrecadada e declarada em
sua prestação de contas (montante de R$ 491.704,05)” afirmou o relator do processo.

O dinheiro teria sido do Eros Motel. A Corte concluiu que houve, de fato, uma doação indireta de pessoa jurídica, o que é totalmente vedado pela legislação eleitoral em vigência.

Procurado pelo Radar-DF, por telefone, nesta tarde de quarta-feira (14/10), Ailton Rodrigues – o Maninho – um dos coordenadores da campanha de Marcos Túlio, desmentiu que o candidato desistirá da disputa e que a coligação esteja passando por dificuldades ou enfrentando algum problema interno.

Sem muito se estender, Maninho também negou que os candidatos a vereador estejam reclamando ou abandonando a candidatura de Túlio.

Postagem:

Fonte: Radar

Nenhum comentário