Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

Hamilton vê futuro brilhante e diversificado para F1 em transformação

  Heptcampeão defende ações reais para causar mudanças na categoria Foto: Amanda Perobelli ...

 

Heptcampeão defende ações reais para causar mudanças na categoria

Formula One F1 - Brazilian Grand Prix - Lewis Hamilton Press Conference - Hotel Tangara, Sao Paulo, Brazil - November 13, 2019         Mercedes' Lewis Hamilton during press conference    REUTERS/Amanda Perobelli
Foto: Amanda Perobelli

O heptacampeão mundial de Fórmula 1 Lewis Hamilton disse acreditar que seu esporte terá um futuro brilhante e mais diversificado, mas não tirará o pé do acelerador na busca por mudanças. O piloto da Mercedes, o primeiro negro e campeão da F1, disse à Reuters Television em uma entrevista que também torce por mais sucessos com uma equipe que dominou a modalidade nos últimos sete anos.

O britânico é o piloto mais bem-sucedido da F1, tendo igualado os sete títulos recordes de Michael Schumacher, lenda da Ferrari, e superado a marca de vitórias do alemão com as 94 que acumulou.

"Neste ano houve um despertar", disse o esportista de 35 anos, que selou seu sétimo título e sexto com a Mercedes ao vencer na Turquia no final de semana passado.

"Ele já provocou uma mudança, mas é muito importante que não seja só simbolismo, é importante que não sejam só palavras... que pratiquemos ações reais para causar mudanças, para tornar este esporte mais diversificado."

Hamilton, que estreou na F1 em 2007, lembrou de como olhou os boxes do Grande Prêmio da Austrália no início do ano passado e publicou imagens no Instagram para mostrar a falta de diversidade chocante que viu.

"E aí cheguei ao final do ano e vi as fotos de todas as equipes... e havia três ou quatro pessoas de cor naquele contexto e lembro de pensar 'como é que isso não mudou nada desde que estou aqui?'"

Hamilton não citou nomes, mas neste ano criticou duramente o ex-chefe comercial da F1, Bernie Ecclestone, hoje com 90 anos, por insinuar que o esporte não tem um problema com o racismo.



Fonte: Agência Brasil

Nenhum comentário