Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Sonho se torna realidade e primeira vacinação é aplicada no DF e marcada por forte emoção

  O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, prestigiou cerimônia marcada por muita emoção nesta manhã de terça (19). Precisamente às ...


 O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, prestigiou cerimônia marcada por muita emoção nesta manhã de terça (19). Precisamente às 10h05 foi vacinada a primeira representante da linha de frente do combate ao Covid-19, a técnica de enfermagem Lídia Rodrigues Marques, servidora do Hospital Regional da Asa Norte. Compareceram à cerimônia, o vice-governador do DF, Paco Britto e a primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, entre outras autoridades.

Vale lembrar que o DF tem em seu poder 106.160 doses da vacina chinesa CoronaVac. Esse total servirá para imunizar, por meio de duas etapas, 53.080 pessoas. Primeiramente, as doses serão aplicadas em trabalhadores da saúde, que agem na linha de frente do combate à pandemia, indígenas, idosos e pessoas com deficiência, que se encontram em instituições de internação, assim como os respectivos cuidadores.

Durante a cerimônia, o governador do Distrito Federal enfatizou a luta travada no anos mais difícil por ele atravessado por todos aqueles que atuaram bravamente na linha de frente do combate à pandemia.

“Gostaria de agradecer a todos os nossos profissionais da saúde, porque tiveram, talvez, o ano mais difícil de suas vidas”, destacou o governador Ibaneis Rocha, durante o evento.

“Com muito trabalho, conseguimos superar o ano de 2020 sem que nenhum paciente do DF tenha deixado de ser atendido. E não é por menos que se começa a vacinação justamente pelo grupo que está dentro dos hospitais.”

Ibaneis ainda lembrou que o GDF seguirá firme no combate à doença: “Temos esperança de que 2021 será um ano melhor. Nós, do governo, estamos prontos para tomar qualquer atitude que proteja a população”. Ele enfatizou ainda que “nós, do governo, estamos prontos para retomar qualquer atitude que proteja a população”.

No momento mais emocionante da cerimônia da primeira vacinação com a primeira dose da CoronaVac aplicada, Ibaneis se emocionou.

De acordo com a técnica de enfermagem Lídia Rodrigues Marques, primeira a ser vacinada no DF, entrevistada logo em seguida, sua mensagem para a população foi  de que a vacina é segura, não doeu nada.

“A Anvisa autorizou e eu tenho certeza que assim como nós profissionais de saúde estamos trabalhando com total segurança, cientes do que a gente está fazendo, os órgãos competentes estão fazendo isso e também. É uma vacina segura, eu acredito que logo, logo todo mundo vai estar vacinado”, disse a enfermeira.

Nas primeiras palavras sobre como estava se sentindo, Lídia manifestou a esperança de dias melhores. “Foi ótimo estou me sentindo bem, feliz com esperança de que logo, logo isso vai passar e a gente vai voltar a viver normalmente.”

Ao ser questionada sobre daqui para frente, ela enfatizou que continuam os cuidados, e convocou a todos para manter as prevenções para que nada de ruim aconteça, em relação ao comportamento com uso de máscaras, uso de álcool em gel e distanciamento.

Quanto ao trabalho durante a pandemia Lídia ressaltou que foram nove meses de crescimento para todo mundo da equipe. Além disso ela acredita que “logo vai estar todo mundo mais forte’.

“Foi muito intenso, nós trabalhávamos o tempo inteiro, todo mundo fazendo de tudo e vivenciando uma realidade que a gente não tinha noção. Foi muito pesado, perder nosso colega, estar longe da família. E agora, acredito que nós vamos dessa mais forte de verdade”, pontuou Lídia emocionada.

O secretário de Saúde, Osney Okumoto, afirmou durante a cerimônia que esta terça (19) é um dia histórico por conta das dificuldades de 2020, com a pandemia. “O trabalho todo realizado pelo Distrito Federal no comando do governador Ibaneis Rocha foi muito bem realizado, nenhum paciente deixou de ser na nossa rede de saúde. E agora quero garantir que a população do DF, que todos vão ser vacinados devidamente nas suas etapas dentro de seus grupos prioritários”, disse o secretário.

De acordo com Okumoto, o Ministério da Sáude tem feito um trabalho “maravilhoso” na aquisição dessas vacinas, que serão disponibilizadas para todo o Brasil. Ele tem certeza que esse trabalho será muito bem realizado e “queremos vacina para todas as pessoas”.

Sobre o critério estabelecido no processo de vacinação ele apontou que foi pelo atendimento diretamente dentro do pronto socorro. O secretário explicou que houve estudo e sensibilidade de imunizar a pessoas que estão na linha de frente do combate da pandemia.

“Então, a médica, a enfermeira, a técnica de enfermagem, a fisioterapeuta atuam, diretamente, nos box de terapia intensiva e fazem o atendimento dos pacientes de Covid-19 desde o início. A pessoa da limpeza, que trabalha nos ambientes críticos que nós temos pacientes. E o segurança que todo dia está atendendo as pessoas na chegada do hospital, do pronto socorro, principalmente voltados para a Covid-19”, acentuou Ocumoto.

Na visão do secretário de Saúde, a Anvisa fez a liberação para uso emergencial da vacina.

“É importante a gente frisar que os critérios estabelecidos para aprovação foram em cima de critérios técnicos e científicos e dessa forma a população pode ficar segura que, realmente, tudo aconteceu de uma maneira muito estudada e com técnicos capacitados que hoje estão disponibilizando esse pontinho de esperança para todas as pessoas aqui do DF e do Brasil”, considerou ele.

As guardas não deverão baixar, do ponto de vista dos cuidados para com a disseminação do vírus. A intenção é vacinar todas as pessoas até o final do ano a medida que as vacinas chegam. “A utilização de máscara, evitar aglomerações, utilização da higiene das mãos com água e sabão e álcool em gel, é muito importante para que a gente mantenha sempre em queda, como está acontecendo agora, a transmissão do coronavírus como está acontecendo no DF.

A técnica de enfermagem, Nájila Simone Joaquim Carvalho, que aplicou a primeira vacina do DF, explicou que “é sempre uma emoção a gente poder participar de um momento como esse, o povo está com tanta esperança nessa vacina e nós aqui estamos torcendo para que dê tudo certo. Vamos confiar que essa vacina vai fazer um efeito muito bom para nós todos.”

Quanto à emoção de ter sido escolhida para aplicar a primeira vacina, Nájila foi pura sensibilidade. “Eu quase morri. Mas foi bom, foi ótimo, uma experiência atrás da outra. A gente já trabalha aqui já tem um tempinho, mas é sempre uma nova experiência. Foi um privilégio poder participar. É uma benção”, assegurou.

A enfermeira tem 28 anos de secretária da Saúde e de Hospital Regional da Asa Norte. Ao longo desse tempo ela lembrou do H1N1, mas esse Covid-19 foi bem mais difícil no ano de 2020, “está sendo, né”. “Com a vacina a gente espera melhorar bastante, vamos ver.”

Nájila concordou em o pessoal de frente ser os primeiros a serem imunizados. “Está certíssimo. Eu acho que é por aí mesmo. Tem que ser os que estão na linha de frente, porque eles estão muito envolvidos nos trabalhos deles, estão fazendo com muito trabalho e eu acho que eles merecem”

A segunda pessoa da linha de frente da rede de Saúde, Karina de Jesus Silva, afirmou que sentiu muita felicidade.  Para ela, que teve um parente vítima de Covid-19 é uma ponta de esperança e o reconhecimento de trabalho de vocês.

O agente de vigilância Pedro Teodoro, 58 anos, também foi vacinado durante a cerimônia. Ele também emocionado, afirmou que estava feliz, apesar de lembrar das perdas. “Vi muitos amigos meus falece dessa doença terrível. Quero agradecer a chegada da vacina.”

Teodoro ficou sabendo na segunda à noite que seria contemplado com a aplicação da vacina. “Você vai ser o primeiro vigilante a tomar a vacina”, disse o chefe. Segundo ele tem se esforçado para melhorar como pode a vida das pessoas, atuando na função de vigilante, na entrada e saída das pessoas entre outras ações. “É uma esperança para acabar com esse mal terrível”, disse Teodoro que trabalha há 25 anos aproximadamente no HRAN. Ele também acredita que é um reconhecimento pelo trabalho desempenhado.

Auxiliar de limpeza do HRAN há 31 anos, Narcisa Araújo também foi imunizada. “Quando me ligaram, eu adorei a notícia e logo tratei de avisar minhas filhas. Foi emocionante ser vacinada hoje”, contou.

 Fonte: Tudo ok Notícias 

Nenhum comentário