Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Piada sobre o holocausto provoca demissão do diretor da cerimônia de abertura da Olimpíada em Tóquio

  Em meio a crise, o comediante de 48 anos, fez um pedido formal de desculpas pelas “expressões extremamente inadequadas” O diretor da cerim...

 

Em meio a crise, o comediante de 48 anos, fez um pedido formal de desculpas pelas “expressões extremamente inadequadas” O diretor da cerimôn...


Em meio a crise, o comediante de 48 anos, fez um pedido formal de desculpas pelas “expressões extremamente inadequadas”


O diretor da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, Kentaro Kobayashi foi desligado das suas funções, por conta de uma brincadeira no mínimo infeliz Holocausto que ele fez durante um show de comédia em 1998. Kobayashi  deixou o cargo nesta quinta-feira (22), na véspera do evento, marcado para as 20h no horário local (8h horário de Brasília) desta sexta-feira (23).

Segundo informações do jornal japonês Mainichi Shimbun relembraram antigos comentários do profissional fazendo piadas sobre o Holocausto. Em meio à pressão de várias organizações judaicas, Kobayashi não teve outra alternativa a não ser renunciar ao cargo. Na época, o artista japonês saiu com essa:“vamos brincar de holocausto”.

Em meio a crise, o comediante de 48 anos, fez um pedido formal de desculpas pelas “expressões extremamente inadequadas” que fez “quando era muito jovem”, por meio de um comunicado emitido pelo comitê organizador do evento.

Kobayashi revelou “não ser capaz de fazer as pessoas sorrirem” e “desrespeitar e causar desconforto”, e assumiu que a melhor opção era “parar de trabalhar” para os Jogos de Tóquio.

“Nós descobrimos que Kobayashi, em sua própria performance, usou uma frase ridicularizando uma tragédia histórica”, revelou Seiko Hashimoto, presidente do Comitê Organizador. “Pedimos profundas desculpas por causar tal constrangimento um dia antes da cerimônia de abertura e por causar problemas e preocupações a muitas partes envolvidas, bem como às pessoas em Tóquio e no resto do país”, afirmou ela.

Hashimoto disse ainda que “agora estão discutindo como gerenciar a cerimônia de abertura” e que a ideia é chegar a uma conclusão “em breve”.

“É algo que nunca deveria ter acontecido. Esses incidentes tiveram um impacto tremendo, é por isso que desta vez decidimos ter uma reação rápida”, disse Hashimoto ao ser questionada sobre a lista incessante de problemas para os organizadores.

Da redação Estrutural On-line

Nenhum comentário