Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

Pais e crianças comemoram vacinação contra Covid no DF: “Alívio”

Pais e crianças comemoram vacinação contra Covid no DF: “Alívio” Aos 8 anos, Carlos Adalberto Pereira da Silva, que tem paralisia cerebral, ...


Pais e crianças comemoram vacinação contra Covid no DF: “Alívio”
Aos 8 anos, Carlos Adalberto Pereira da Silva, que tem paralisia cerebral, foi a primeira criança a ser imunizada contra a Covid-19 no DF.
O início da vacinação infantil no Distrito Federal ocorre de forma tranquila na manhã deste domingo (16/1). Em alguns pontos, as filas são maiores, como no Cruzeiro e no Lago Norte. Em outros, o movimento é menor, como em Samambaia e Taguatinga. Aos 8 anos, Carlos Adalberto Pereira da Silva, que tem paralisia cerebral, foi a primeira criança a ser imunizada contra a Covid-19 no DF
Ele foi levado pela mãe à Unidade Básica de Saúde (UBS 5) de Taguatinga e recebeu o imunizante da Pfizer. 
Em todo o país, são 15 unidades da Federação aplicando vacinas em crianças.
Emocionada, Cleci Pereira da Silva, 37, moradora do Areal, disse estar aliviada com o fato de o filho ter sido imunizado e incentivou outros pais a vacinarem suas crianças. “Estou muito feliz de ver ele tomar a primeira dose. A sensação é que, finalmente, meu filho está mais seguro. Desejo que todos os pais vacinem seus filhos, para que, dessa forma, consigamos vencer esse vírus. Tomem a vacina”, ressaltou a mulher.

Criança deve estar acompanhada de pai, mãe ou responsável, com documento de identidade e a caderneta de vacinaçãoIgo Estrela/Metrópoles

Carlos Adalberto Pereira da Silva, de 8 anosIgo Estrela/Metrópoles

Em outros países, 8,7 milhões de doses da vacina da Pfizer-BioNTech foram administradas em crianças de 5 a 11 anos, no período de 3 de novembro a 9 de dezembro de 2021, sem a observação de eventos adversos gravesIgo Estrela/Metrópoles

Ainda assim, as equipes da Secretaria de Saúde estão treinadas para identificar eventuais reaçõesIgo Estrela/Metrópoles

DF espera receber um total de 56.234 doses pediátricas em janeiroIgo Estrela/Metrópoles

Criança deve estar acompanhada de pai, mãe ou responsável, com documento de identidade e a caderneta de vacinaçãoIgo Estrela/Metrópoles

A dona de casa Ana Cláudia Gomes, 36, também levou o filho Gabriel Gomes, 11, para tomar a primeira dose do imunizante infantil na UBS 12, de Samambaia. E comemorou o momento. Segundo Ana Cláudia, a vacinação de crianças contra a Covid-19 é uma vitória. “É um alívio saber que meu filho não fará parte da estatística de mortos pelo coronavírus. 
Espero que outros pais também levem seus filhos para vacinar, porque pior do que não tomar a vacina, é perder a vida de um filho para esse vírus”, afirmou a dona de casa.
Tanto na UBS 5 quanto na 12 o movimento é tranquilo nesta manhã. No Cruzeiro, a fila está um pouco maior. Apesar da espera que durou duas horas, Clarisse Dias (foto em destaque), de 11 anos, comemorou ter tomado a primeira dose do imunizante. “Eu estou muito feliz. Esse é um momento de esperança para as crianças de que tudo irá melhorar. Se vacinem! Não dói nada e salva vidas”, disse a pequena.


O frasco da vacina infantil é de cor laranja. A dose de 0,2ml será aplicada em seringas de 1ml, também específicas para a vacinação de crianças Igo Estrela/Metrópoles

Lucas Marcato, 10 anos, mora em Águas ClarasIgo Estrela/Metrópoles

"Expectativa grande para voltar à rotina que não será mais normal", diz o pai de Lucas, Jamil MarcatoIgo Estrela/Metrópoles
O governador em exercício Paco Britto (Avante), que acompanhou o início da vacinação na UBS 5, disse que o momento é muito importante para a população do Distrito Federal. 
“O GDF está trabalhando para conter o avanço da Ômicron, e a presença das pessoas hoje aqui demostra que a população do DF aderiu ao plano de imunização. 
A expectativa para hoje é finalizar todas as mais de 16 mil doses disponíveis. 
Venham vacinar crianças em respeito aos seus pais e a sua família. Vacina boa é vacina no braço”, afirmou.
O DF iniciou campanha de imunização para crianças de 5 a 11 anos após ter sido abastecido com 16,3 mil doses da Pfizer, na tarde de sexta-feira (14/1). Podem se vacinar nesta primeira fase crianças dentro dessa faixa etária com deficiência permanente ou comorbidades, incluindo as que estão sob tutela do Estado, e crianças sem comorbidades com 11 anos completos.
Para o pequeno Eduardo Resende, de 11 anos, uma das crianças vacinadas sem apresentar comorbidade, o momento é de celebração. “É muito importante tomar a vacina, pois somente assim será possível acabar com a Covid. Acreditem, crianças, e venham se imunizar”, disse o menino.
Compartilhando do sentimento do filho, Andreia Resende, 45, mãe de Eduardo, afirmou que vacinas salvam vidas. “Estou muito feliz por estar aqui. Acredito que é responsabilidade dos pais assegurar a saúde dos filhos.
 Aguardei ansiosa por este momento e ele finalmente chegou. Meu filho está imunizado”, disse Andreia, emocionada.
Antes mesmo antes do início da vacinação, a movimentação já estava grande na Unidade Básica de Saúde 5 de Taguatinga (UBS 5). Os pais conseguiram imunizar seus pequenos rapidamente e, logo, a fila se dissipou. “Tragam seus filhos”, pediu Wellington Antônio da Silva, gerente da UBS 5, por volta das 9h. DF tem 11 pontos exclusivos para imunização pediátrica, que funcionarão neste domingo das 8h às 17h.
Reprodução/SES-DF

Confira os locais:
Para receber o imunizante no DF, não é preciso fazer o agendamento da criança. Basta comparecer ao posto com documento de identidade e caderneta de vacinação.
No caso de crianças com comorbidades ou deficiência permanente, será necessário apresentar laudo médico que comprove a condição clínica no momento da imunização.
Conforme orientação do Ministério da Saúde, a vacina será a da marca Pfizer-BioNTech, cujo frasco é na cor laranja, voltada para o público infantil. A dose de 0,2 ml será aplicada em seringas de 1 ml, também específicas para a vacinação infantil. Além disso, o intervalo sugerido pela pasta entre cada dose será de oito semanas.
Crianças que tenham tomado outras vacinas recentemente devem esperar o intervalo de 15 dias para receber o imunizante contra a Covid-19. A segunda dose deverá ser aplicada oito semanas após a primeira.


A decisão do Ministério da Saúde de prolongar o intervalo das doses do imunizante contraria a orientação da Anvisa, que defende uma pausa de três semanas entre uma aplicação e outra para crianças de 5 a 11 anosRafaela Felicciano/Metrópoles


A Anvisa aprovou, em 16 de dezembro, a aplicação do imunizante da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos. Para isso, será usada uma versão pediátrica da vacina, denominada.



Nenhum comentário