banner

quinta-feira, 19 de abril de 2018

author photo

O Ministério da Educação afirma não existir o problema financeiro que justifica a mobilização e garante estar aberto ao diálogo

Estudantes da Universidade de Brasília (UnB) e representantes da reitoria, do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e dos servidores da instituição estão reunidos nesta quinta-feira (19), no auditório da Faculdade de Direito, no campus Darcy Ribeiro, na Asa Norte, para uma mesa pública acerca da crise do momento. De acordo com a organização, apenas a presença de representantes do Ministério da Educação (MEC) é incerta.

O debate entre todos os setores é para ampliar as conversas e compreender a crise orçamentaria da universidade, negada pelo Ministério, a fim de buscar soluções. O encontro acontece após uma semana de ocupação dos estudantes na reitoria. Por isso, a expectativa é de que até o fim da mesa pública os estudantes decidam se permanecem ou não no protesto.João Stangherlin

O Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sindfub) ainda aproveitou a ocasião para confirmar um indicativo de greve para a próxima terça-feira (24). No começo da semana, mais de 230 funcionários da UnB teriam recebido aviso prévio de dispensa, o que também motivou protesto dos ocupantes da reitoria.

O MEC lançou uma nota reafirmando sua posição sobre os recursos disponíveis à universidade e garantindo “esperar que a solução de consenso seja breve.” Lei abaixo na íntegra:

“O Ministério da Educação tem mantido diálogo aberto e direto com os estudantes e com toda a sociedade sobre a situação da UNB. Nos últimos seis dias, o MEC já se reuniu em três ocasiões com representantes da comunidade da UNB formada por professores, servidores técnico-administrativos e estudantes. Duas vezes no dia 10/04, durante invasão à sede do MEC e à sede do FNDE, e nesta segunda-feira (16/04), na Câmara dos Deputados.

Assim como tornou pública, em nota dirigida à comunidade acadêmica e à sociedade em geral, a situação da UNB com informações transparentes. O MEC reafirma que o orçamento global da UnB cresceu de R$ 1.667.645.015 em 2017 para R$ 1.731.410.855 em 2018; em 2016 e 2017, foram repassados 100% dos recursos para custeio das universidades federais, fato que não ocorria há 2 anos. A UnB teve aumento de 12% nos recursos de custeio considerando todas as fontes de recursos. A UnB passou de uma execução de R$ 205,7 milhões, em 2017, para uma LOA de R$ 229,9 milhões, em 2018. Neste critério, a UnB é a segunda universidade com mais recursos entre o bloco das seis instituições de mesmo porte. As informações do MEC foram corroboradas pela própria direção da UNB em nota divulgada na última sexta-feira.

O Ministério tem contribuído com as negociações, disponibilizando as informações orçamentárias e tratando do assunto com total transparência, que é a parte que compete ao Ministério.

O MEC acredita no diálogo como instrumento de solução de impasses como o vivido entre a administração superior da UNB, alunos, servidores técnico-administrativos e professores. O MEC espera que a solução de consenso seja breve para que a UNB retome suas atividades normais. E reafirma a disposição de diálogo, respeitando as competências e responsabilidades de cada ente e os limites da autonomia administrativa e de gestão da UNB.”

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade