banner

domingo, 15 de julho de 2018

author photo


Presidentes de partidos aliados e articuladores da campanha de Jofran Frejat (PR) se encontraram neste domingo (15/7) para tentar demover o pré-candidato ao GDF de desistir da disputa.

A primeira parada no caminho para retomada da campanha foi na casa do presidente do MDB local, Tadeu Filippelli. Por volta das 9h, Roney Nemer (PP), Paco Brito (Avante) e Alberto Fraga (DEM) chegaram na residência de Filippelli, no Lago Sul. Lá conversaram por pouco mais de uma hora sobre as estratégias de manter o grupo unido. Na ocasião, foi discutida a indicação do advogado Ibaneis Rocha para ser o vice na chapa encabeçada por Frejat. Isso, se ele desistir de desistir da corrida eleitoral, e levar a termo sua candidatura.

Logo depois, por volta de 11h, o presidente do PHS, Cristian Viana, se juntou ao grupo para um encontro na casa de Jofran Frejat. Os presidentes das legendas reafirmaram ao médico a disposição de tê-lo como representante e líder da coalizão em torno do Palácio do Buriti. Queriam sair do encontro com a certeza de que Frejat havia voltado atrás sobre oanúncio de sua possível desistência, revelado pelo Metrópoles na última sexta-feira (13). Mas, não foi o que aconteceu.

Frejat reafirmou sua intenção de, primeiramente, conversar com o presidente nacional de seu partido, Valdemar Costa Neto, o que deve ocorrer na próxima terça-feira (17). E disse aos seus pares que até lá seguirá com sua disposição em refletir.

À coluna, Frejat confirmou, neste domingo à noite, o teor da reunião em sua casa. Afirmou que segue em recolhimento e não confirmou qualquer montagem de chapa com personagens definidos. Não demonstrou, no entanto, nenhuma resistência ao nome de Ibaneis. “É um homem correto, honesto, mas nesta manhã não tratamos, em absoluto, sobre quem ocupará esta ou aquela posição na chapa. Se estão dizendo isso por aí, mais uma vez faltou combinar com os russos”, disse Frejat, numa referência bem-humorada das circunstâncias. O ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional DF (OAB-DF), está na Rússia.

Ibaneis foi assistir à Copa do Mundo e ainda está na Europa. Só volta no próximo sábado, depois de passar um período em Lisboa. Em conversa com o Metrópoles, o advogado demonstrou abertura a uma possível parceria com Frejat, embora também tenha negado que haja um acordo selado: “Desde a época em que desisti da minha candidatura a governador, deixei bem claro que estava apoiando o Frejat. Se ele precisar que eu seja vice para ajudá-lo, serei. Não acompanhei as movimentações desses últimos dias porque estou na Rússia. Mas fico à disposição para o cargo e não tenho dúvidas que seremos bons parceiros”.

Formação da chapa

Além da adesão de Ibaneis, uma outra possibilidade cogitada pelo grupo que orbita Frejat foi a de sugerir ao médico que uma das vagas ao Senado seja oferecida a Rogério Rosso (PSD), o que tiraria Paulo Octávio dos planos. Há alguns dias, o ex-vice-governador já vem comentando com pessoas próximas que está inclinado a desistir de sua candidatura ao Senado. Embora não admita publicamente, ele avalia que seria muito ruim ser impedido de concorrer por questões judiciais. Tem pensado, no entanto, se vale a pena investir em um dos filhos para o pleito de outubro.

Apontado como um dos pivôs em um possível revés de Frejat, o ex-governador José Roberto Arruda (PR) não participou das conversas deste domingo (15/7). Tampouco foi consultado a respeito dos exercícios de montagem da chapa. A seus interlocutores, Arruda defende uma composição política ampla incluindo Eliana Pedrosa (Pros), Alírio Neto (PTB) e Joe Valle (PDT).

Depois de um dia longo de conversas e reflexões, Frejat demonstrou serenidade e bom humor: “Andaram falando que eu era incontrolável. Imagina, sou supercontrolável, mas pela minha mulher, aqui em casa”. A semana promete pegar fogo e apontar os rumos de quem estará no páreo em outubro.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade