banner

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

author photo


Familiares: vítimas de avião que caiu no Entorno do DF estão estáveis
Aeronave com quatro pessoas sofreu acidente no início da tarde desta quarta (1º/8). Três foram levadas ao Instituto Hospital de Base


RICARDO BOTELHO/ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

As famílias de três das quatro vítimas do avião que caiu nesta quarta-feira (1º/8), no Entorno do Distrito Federal, começaram a receber notícias do Instituto Hospital de Base (IHB), em Brasília. Por volta das 20h, a equipe médica informou aos familiares presentes no local o estado de saúde dos pacientes.

Vanessa Bittar, 30 anos, ficou aliviada ao saber que os três homens apresentam quadro de saúde estável. Ela é irmã de Luciano Fagner de Oliveira Bittar, 37, piloto da aeronave. “As notícias que vieram lá de dentro [do hospital] foram positivas. Eles passaram por exames e agora estão em observação”, revelou Vanessa.
Além de Luciano, foram levados para o IHB Evandro José Biesek, 36, e Jarles Barbosa Cardoso, 32. Inicialmente, os três haviam sido considerados em estado grave, então foram levados de helicóptero para o Distrito Federal. Carlos Eduardo Gomes disse que o cunhado, Jarles, parecia bem. “Estava um pouco confuso, mas não quebrou nada. Só está bem machucado”, afirmou. A quarta vítima foi transportada por via terrestre para um hospital do Entorno, pois apresentava melhor quadro de saúde.

A Secretaria de Saúde do DF informou que não divulgará boletim médico dos pacientes por não ter autorização dos familiares.


Familiares recebem notícias de vítimas de acidente aéreoIgo Estrela/Metropoles

Familiares recebem notícias de vítimas de acidente aéreoIgo Estrela/Metropoles

Familiares das vítimas levadas ao Instituto Hospital de Base recebem informações sobre o estado de saúde delasIgo Estrela/Metropoles


Três das quatro pessoas que estavam no avião tiveram como destino a unidade do DFIgo Estrela/Metropoles

À noite, parentes aguardavam do lado de fora do hospitalIgo Estrela/Metropoles

Vítima ferida dentro do avião Reprodução/WhatsApp

Avião caiu no Entorno do DF na tarde desta quarta (1º/8)Reprodução/WhatsApp

Segundo Anac, aeronave não era irregularCorpo de Bombeiros de Goiás/Divulgação

Corpo de Bombeiros de Goiás/Divulgação

Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Vítimas foram trazidas para o Instituto Hospital de BaseRicardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Vítima trazida em helicóptero dos bombeiros Reprodução/Vídeo

Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Helicóptero da PM também foi usado no socorro das vítimas Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Ricardo Botelho/Especial para o Metrópoles

Acidente
De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), a aeronave caiu no Km 51 da BR-010, na fazenda Sagrada Família, perto dos municípios de São Gabriel e Planaltina de Goiás. Para a ocorrência, foram deslocados três helicópteros, duas unidades móveis de resgate e um caminhão. Além dos bombeiros, a PMDF também encaminhou uma aeronave para a região

Segundo parentes e amigos das vítimas, o monomotor envolvido na tragédia, prefixo PT-RKA, vinha de Tocantins para Formosa, no Entorno do Distrito Federal. Todos os ocupantes seriam funcionários da empresa Produtiva Sementes. Oscar Strauch, dono da companhia, teria fretado o avião para que os trabalhadores visitassem sua fazenda em Formosa. Vanessa afirmou que o irmão tem experiência de cinco anos de voo. “Foi uma fatalidade”, acredita.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o monomotor é registrado na categoria de serviços aéreos privados. O modelo EMB-711ST, fabricado em 1981, está apto a voar, pois possui Certificado de Aeronavegabilidade (CA) e Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia – documento, porém, que venceria no próximo dia 8.
ARTE/METRÓPOLES


A aeronave saiu de Tocantins para Formosa, mas caiu no município de São Gabriel (GO). Não foi divulgada ainda a cidade de onde o avião decolou

Investigação
A Força Aérea Brasileira (FAB) informou, por meio de nota, que profissionais do Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VI), do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), vão iniciar, na quinta-feira (2/8), a investigação da tragédia envolvendo o avião de matrícula PT-RKA.

Na primeira etapa, chamada de ação inicial, são coletados dados. Segundo a FAB, nessa fase os investigadores fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, reúnem documentos e ouvem relatos de pessoas que possam ter observado a queda.

De acordo com a FAB, a apuração tem objetivo de prevenir novos acidentes com as mesmas características.
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade