banner

domingo, 4 de novembro de 2018

author photo

Conheça Paco Britto, o novo vice-governador do Distrito Federal
A carreira foi construída no setor produtivo. A política, antes considerada como hobby, torna-se agora prioridade
Ajudar Ibaneis Rocha (MDB) a deixar o anonimato para ser eleito governador do Distrito Federal foi um dos maiores desafios da carreira de um homem que sempre atuou nos bastidores da política brasiliense. Hoje, contudo, a tarefa que se desenha à frente de Paco Britto é ainda mais complicada: presidente do partido Avante no DF, ele assume, a partir de 1° de janeiro de 2019, o cargo de vice-governador.

Antes mesmo de ser empossado, o trabalho começou. Paco foi designado por Ibaneis como coordenador da equipe de transição do governador eleito, fazendo a ponte com a atual gestão para colher informações necessárias ao início da próxima administração.
Assim como Ibaneis, o futuro vice ainda começa a se tornar conhecido pelos brasilienses. O que poucos sabem é uma curiosidade em relação ao nome: Paco é um apelido de infância que resistiu ao tempo. Marcus Vinicius Britto de Albuquerque Dias, 54 anos, diz que não conseguia pronunciar o próprio nome quando era criança. “Todo mundo perguntava e eu falava ‘Paco Britto’. Aí acabou pegando”, conta.
Nascido no Rio de Janeiro em 1964, a história de Paco em Brasília começou em 1974, quando tinha 10 anos. Naquele ano, o carioca mudou-se para a capital da República com o avô Flávio Britto, ex-senador do Amazonas.

Foi na capital federal que Paco passou a maior parte da adolescência, até mudar-se para o interior de São Paulo, onde se formou em administração pela Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp). Depois, voltou a Brasília e, ainda na juventude, conheceu a esposa: a advogada e empresária Ana Paula Hoff. O casal está junto há 32 anos e tem três filhos: Catharina, 22; Cristiano, 18; e Flávio, 16. Os dois mais velhos cursam medicina. O caçula está no ensino médio.
O futuro vice-governador é amante de boas comidas e viagens. Com a família, conheceu todos os continentes do mundo, exceto a Antártica. “Gosto de visitar outros países e jantar bem”, afirmou. Sobre a vida familiar, diz prezar a educação dos herdeiros: “Acho que a única coisa que a gente deixa para os filhos é estudo e conhecimento”.
CarreiraPaco iniciou a vida profissional como administrador, e logo abriu uma empresa de construção civil e administração de bens. A política era considerada um hobby. Há 11 anos no PTdoB, atual Avante, Paco participou, nesse período, da articulação para eleger deputados.

Durante o governo de Maria de Lourdes Abadia (PSB), em 2006, ele foi secretário Institucional. A nomeação, conforme aponta Paco, foi um pedido do ex-governador Joaquim Roriz, de quem era próximo. Naquela época, já atuava como uma espécie de “conselheiro”.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade