banner

domingo, 3 de março de 2019

author photo



(foto: Tomaz Silva/Agencia Brasil)

Após desfile, Acadêmicos do Sossego e Crivella trocam acusações
Escola, que quase levou ao desfile uma estátua que retratava o prefeito do Rio como diabo, entrou na avenida com faixa pedindo respeito de Crivella ao carnaval
(foto: Tomaz Silva/Agencia Brasil)O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), utilizou o Facebook, neste domingo (3/3), para responder às críticas feitas a ele pela escola de samba Acadêmicos do Sossego, durante o primeiro dia de desfiles do Grupo de Acesso do carnaval carioca, na noite de sexta-feira e madrugada de sábado. Com um enredo em defesa das religiões de matriz africana, intitulado Não se meta com minha fé, acredito em quem quiser, a agremiação planejava levar à avenida uma alegoria de um demônio com o rosto muito semelhante ao de Crivella, que é evangélico e membro da Igreja Universal do Reino de Deus.
A estátua não foi para a avenida, mas circulou nas redes sociais antes do carnaval(foto: Reprodução/Internet)Após pressão da Prefeitura, a escola desistiu da ideia e colocou no lugar uma estátua que lembrava à do ex-prefeito Eduardo Paes (MDB), mas sem caracterizá-lo como diabo — segundo o presidente da escola, Wallace Palhares, Paes foi um prefeito que apoiou bastante o carnaval. Ainda assim, a Sossego manteve a crítica a Crivella, levando para a passarela uma faixa com os dizeres: "Respeitamos a religião do prefeito Marcelo Crivella e queremos respeito com o Carnaval".
Um dia depois do desfile, Crivella publicou uma longa mensagem no Facebook em que defende que as escolas dependam menos de recursos públicos. "Respeito, sim, todos os carnavalescos. Mas precisamos respeitar igualmente as crianças nas escolas e os doentes nos hospitais, os orfanatos e asilos e as milhares de pessoas que se alimentam nas nossas creches, escolas e restaurantes populares todos os dias", escreveu.
Iniciativa privadaO prefeito afirmou, ainda, que o carnaval de 2019 é um sucesso e já bate recordes dentro e fora da Sapucaí. De acordo com o prefeito, a expectativa da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur) é de trazer 1,5 milhão de turistas para a cidade, superando a festa de 2018. "A média de ocupação hoteleira está em 88%, segundo a Hotéis Rio", afirmou.
O setor privado também ajudou, de acordo com o mandatário. Mesmo com a redução de verba pública neste ano, R$ 41 milhões foram arrecadados de empresas. “Um recorde histórico deste carnaval”, argumentou Crivella, que terminou a publicação com uma recomendação: “Portanto, respeito, sim, mas precisamos desmamar!”
Presidente da escola respondeApós a publicação do prefeito na internet, Palhares disse ao Correio que Crivella não fez mais do que a obrigação ao afirmar que hospital merece respeito. Mas ressaltou que a cultura também não pode ser deixada de lado por questões religiosas.
"O prefeito falou que tem que ter respeito com hopistal, com tudo. Mas isso não é mais do que a obrigação dele. Só que cultura também é obrigação dele. Educação, saúde, tudo que ele fala que tem que ter respeito, são importantes. Mas a cultura também exige respeito. Cultura também educa”, afirmou Palhares, que já foi diretor da Acadêmicos da Asa Norte. "Passei um bom tempo no carnaval de Brasília. É uma cidade que eu amo muito", completou.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade