sábado, 23 de março de 2019

author photo

baneis afirma que o GDF prepara ação judicial para reverter a transferência(foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

'Moro não conhece nada de segurança', diz Ibaneis, após chegada de Marcola
Para o governador Ibaneis Rocha, a decisão do Ministério da Justiça de transferir o líder do PCC para o DF é 'o maior absurdo'
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), segue criticando duramente a transferência de Marco Willians Herbas Camacho, conhecido como Marcola, e outros três presos para a Penitenciária Federal de Brasília. Neste sábado (23/3), um dia após a chegada ao DF dos detentos, o chefe do Executivo local afirmou que a medida demonstra que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, "não conhece nada de segurança". A decisão de transferir Marcola para Brasília foi do Ministério da Justiça.
Ibaneis alega que o GDF já prepara uma ação judicial com base na Lei de Segurança Nacional para reverter a transferência. "Não se pode trazer um criminoso deste quilate, que arrasta com ele todo o crime organizado. Nós estamos fazendo nossa parte. Ontem pela manhã mesmo, prendemos sete integrantes do PCC aqui no DF. Agora, trazer um criminoso desse para cá, a 6 quilômetros do Congresso Nacional? Isso é o maior absurdo, do ponto de vista da segurança”, afirmou o governador.
Também na sexta-feira, a seção do DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), também se posicionou contra a transferência e propôs a desativação do presídio federal de Brasília.
Pedido a BolsonaroO emedebista completou garantindo que vai recorrer ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Na sexta-feira (22/3), pelas redes sociais, Ibaneis já tinha atacado a transferência de Marcola. Na ocasião, ele disse que "trazer o crime organizado para dentro da capital da República é uma verdadeira jabuticaba”.
Marcola chegou ao presídio federal da capital durante a tarde, após ser transportado em um jato da Polícia Federal que saiu de Porto Velho, onde ele estava preso. O criminoso é apontado pelas autoridades como líder do Primeiro Comando Capital (PCC).
A mudança de traficantes que lideram a organização criminosa ocorre por conta do esquema de rodízio adotado pelo governo. O objetivo é impedir que os chefes das facções deem ordens para que sejam realizados ataques por quem está do lado de fora das prisões.

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA