Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Mecânicos acham corpo de mulher em oficina ao chegar para trabalhar

Mecânicos acham corpo de mulher em oficina ao chegar para trabalhar Caso aconteceu nesta segunda-feira, no Guará. Aparentemente, Rubiana R...


Mecânicos acham corpo de mulher em oficina ao chegar para trabalhar
Caso aconteceu nesta segunda-feira, no Guará. Aparentemente, Rubiana Rosa, 44 anos, caiu de um prédio vizinho e atravessou o teto da oficina. Polícia investiga o caso
O corpo de uma mulher foi encontrado dentro de uma oficina mecânica, no Guará. Funcionários do estabelecimento se depararam com a vítima, Rubiana Rosa, 44, ao chegar para trabalhar, na manhã desta segunda-feira (21/9). Agentes da delegacia da região administrativa investigam o caso.
A suspeita dos policiais é a de que a vítima tenha caído de um prédio vizinho e atravessado o telhado. O corpo estava em um tanque usado para limpar peças de automóveis.
Buraco no tetoAo Correio, o dono da oficina, Edilson Dias Gonçalves dos Santos, 40 anos, contou que o comércio ficou fechado durante o fim de semana. "Quando entrei, vi um buraco no teto. Em seguida, achei o corpo. Na mesma hora, chamei a polícia militar”, detalhou.
Moradores da região contaram que, no sábado (19/10), escutaram um barulho estranho, mas pensaram se tratar de alguma obra. Por volta das 12h desta segunda-feira, peritos da Polícia Civil trabalhavam na cena do ocorrido para identificar as circunstancias do incidente
De acordo com o delegado à frente do caso, João Maciel, o caso é tratado como feminicídio. "Faz parte do protocólo da Polícia Civil registrar todo caso de mulher dessa forma. Com o andar das investigações, podemos eliminar esse qualificador", explicou.
Segundo o investigador, Rubiana frequentava o prédio de onde caiu para visitar um casal de amigos. "Testemunhas informaram que no sábado aconteceu uma discussão entre rubiana e esses colagas. Ainda vamos ouvi-los para entender o que aconteceu", disse.
Rubiana deixa três filhos e um neto. Ela morava duas ruas acima do lugar onde foi encontrada morta. Amigos e familiares compareceram à oficina, porém, abalados, informaram não querer conceder entrevistas. "Também não entendemos o que aconteceu. Não temos o que dizer", ressaltou o namorado da vítima.