( 00:00:00 )

sexta-feira, 4 de outubro de 2019

author photo

Vice-governador, em nome do governador Ibaneis Rocha, convidou toda a sociedade a participar da campanha de conscientização de combate ao câncer de mama.
O vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto, representando o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, participou nesta quinta-feira (3) do lançamento da Campanha Outubro Rosa no Palácio do Buriti.
Ele, primeiramente, pediu a todos os administradores regionais presentes e às empresas que iluminem de cor rosa todas as fachadas, como o Banco Regional de Brasilia (BRB), por exemplo, e que façam o encaminhamento de demandas de mulheres para realizar um melhor atendimento em relação ao combate do câncer.
Durante pronunciamento, ele citou que a doença não prejudica apenas as pessoas doentes, mas também as famílias delas. Paco parabenizou a Secretaria da Saúde e da Mulher que estão desenvolvendo um plano de ação conjunta.
Paco informou que todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e as policlínicas estarão de portas abertas para o acolhimento da pacientes e solicitações de exames de mama Papa Nicolau.
“É um novo momento”, frisou o vice-governador. Em todas as regiões de saúde há mamógrafos em cada um dos hospitais. “E a expectativa é de realizarmos 100 mil atendimentos. Um recorde dos governos anteriores com ajuda de todo o corpo de saúde do Distrito Federal envolvido.”
Ao final de seu pronunciamento, Paco convidou, em nome do governador Ibaneis Rocha a toda a população do Distrito Federal participar da campanha de conscientização na luta contra o câncer de mama. “Vamos acabar com essa doença, que nós vamos detectar com esse trabalho que estamos fazendo”, finalizou.


A deputada federal Celina Leão (PP-DF), que prestigiou o lançamento do Outubro Rosa, em sua fala, informou que nesta quinta-feira (3), pela manhã, conseguiu com uma empresa privada 300 mamografias gratuitas no Jardim Botânico, em uma parceria firmada com a Frente Parlamentar da Defesa dos Direitos da Mulher na Câmara Federal.
Celina, ao saudar o governador Ibaneis Rocha, representado pelo vice-governador, Paco Britto, ressaltou o cuidado que ele tem tido com relação aos temas das mulheres. Não tem nenhum pedido que é levado ao Palácio do Buriti que “o governador não abraçasse com muita força”.
Ela cumprimentou Paco Britto, observando que ele sempre está muito disposto a “nos atender muito firme, aqui, para atender as mulheres”. Além de se referir à secretária da Mulher do GDF, Ericka Felippelli, que segundo Celina tem feito muita coisa.
“É importante ter uma secretária que articula com outras políticas. Falam para que uma secretaria da Mulher. A mulher faz tudo. É ela que vai bater nas portas das outras secretarias. ‘Vamos lançar esse programa, esse projeto?’”, disse Celina ao parabenizar Ericka pelo desempenho à frente da secretaria.
Celina afirmou, durante discurso, que se é responsável por aquilo que cativa. A parlamentar disse que, nesta manhã, estava no evento da ministra da Mulher, Damares Alves, e recebeu um telefonema, mas não pode atender.
Então, ela recebeu uma mensagem: “Pelo amor de Deus, deputada, me salva. Meu marido está me batendo”. E a mulher gravou um áudio desesperada naquele momento. “No momento da agressão, uma amiga minha do futevôlei, essa mulher não pensou na polícia. Ela pensou na deputada Celina”.
A deputada contou que saiu do evento às pressas e ligou para a Polícia Militar. A vítima da agressão, Celina ficou sabendo que ela conseguiu fugir, porém “toda machucada”. Conseguiu sair do apartamento onde o agressor bateu nela. “E agente conseguiu dar um atendimento”, disse aliviada.
Em seguida Celina explicou o porquê de ter levado esse tema hoje, no dia do lançamento de um Outubro Rosa que é um programa de combate ao câncer de mama. Ela mesma respondeu porque as “mulheres têm sido vítimas de muitas mazelas”.
Em relação à violência, feminicídio, à sofrida doença, Celina foi enfática. “Seja na área de doença, seja na área de empregabilidade, de violência doméstica. Não podemos morrer mais de câncer. Mas, nós não podemos mais morrer pelo simples fato de ser mulher.
“Não podemos aceitar a violência. Se vocês ouvirem o áudio que está gravado no meu celular…. Se alguma coisa tivesse acontecido com essa moça de mais grave, talvez eu não me perdoaria, mesmo sem ter condição de dar aquele atendimento do jeito que a gente gostaria, no momento que a gente gostaria”, desabafou a parlamentar.
Em relação à bancada feminina do DF, ela lembrou que há 77 mulheres na bancada federal. Ela acentuou que fora aquela bancada de mulheres que colocou uma lei que obriga agora que os mamógrafos tenham adaptação para cadeirantes.
“Antigamente, as mulheres que eram cadeirantes não conseguiam fazer uma mamografia. Mas foi uma lei federal que implementou isso. São leis que saem das casas legislativas que garantem os direitos das mulheres seja da saúde, da educação, da sua segurança física e da sua integralidade”, acentuou ela.
Celina afirmou estar muito feliz de estar participando do lançamento do Outubro Rosa. Em relação às 300 mamografias gratuitas obtidas pela manhã, ela questionou: “300 são poucas, não são? Mas eu estou fazendo a minha parte. Se tudo mundo fizer a sua parte, nós vamos ter sim uma sociedade mais justa e mais igualitária”, complementou.
“Todos nós somos responsáveis. Poder Legislativo, Poder Judiciário e Executivo, sociedade civil organizada. E quando a gente fala em sociedade organizada, Brasília tem uma rede de mulheres fortes poderosas”, ponderou.
Por fim, Celina elogiou o vice-governador Paco Brito, pelo carinho demonstrado nas demandas encaminhadas relativas às mulheres. Na visão da deputada, a mulher precisa de atendimento integral, não só no momento em que ela descobre que tem câncer.
“Não adianta a mulher ter detectado que está com algum problema e não ter um atendimento integral na rede pública de saúde”, frisou Celina.
Também parabenizou os homens que participaram da solenidade de lançamento da campanha. “Quando temos uma sociedade organizada, tem homens e mulheres em equidade e vocês abrilhantam muito esse evento. Esse evento é para todos nós. Quando a gente fala do tema da mulher esse tema também é do homem”, destacou.
Celina agradeceu ao secretário da Saúde Osnei Okumoto por estar lançando o programa que classificou de “maravilhoso”. Ela cumprimentou todas as mulheres presentes e colocou a Frente Parlamentar dos Direitos da Mulher na Câmara Federal à disposição de todas. “A gente entende que ainda tem muito para lutar, a ser conquistado. Mas todas nós que estamos fazendo alguma coisa aqui nessa tarde também somos responsáveis”, finalizou.
Estavam presentes: a secretaria da Mulher Ericka Fellippeli, o secretário da Saúde, Osnei Okumoto; o secretário de Turismo Vanessa Mendonça; a superintendente do Sebrae, Rose Rainha; a presidente da Emater, Denise Fonseca; o vice-presidente do Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (IGES), Léo Sérgio Costa, representando o presidente do (IGES-DF) Francisco Araújo; a desembargadora Sandra de De Santis, a primeira vice-presidente do Tribunal de Justiça do DF e Territórios, desembargadora Ana Maria Amarante além de representantes de embaixadas, secretários-adjuntos da Secretaria de Saúde e diretores de hospitais, administradores regionais entre outros convidados.
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior