quarta-feira, 30 de outubro de 2019

author photo

Confirmado! O porteiro que envolveu o nome do presidente Jair Bolsonaro na morte da vereadora Marielle Franco mentiu em depoimento à Polícia Civil.
De acordo com Simone Sibilio, procuradora do Ministério Público e chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), quem autorizou a entrada de Élcio de Queiroz no condomínio do presidente é Ronnie Lessa, suspeito de ter feito os disparos
A reportagem exibida pelo Jornal Nacional nesta terça-feira (29) citou o nome de Bolsonaro na investigação do caso Marielle Franco.
A Polícia Civil do Rio de Janeiro teve acesso ao caderno de visitas do condomínio onde morava o presidente e o ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado da morte da vereadora do PSOL.
No dia 14 março de 2018, horas antes do crime, o ex-PM Élcio Queiroz, outro suspeito do crime, anunciou na portaria do condomínio que iria visitar Jair Bolsonaro e acabou indo até a casa de Lessa, segundo informações divulgadas pelo Jornal Nacional nesta terça-feira.
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA