Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

Deputada Flávia Arruda afirma que já foi vítima de comentários machistas na Câmara dos Deputados

AGATHA GONZAGA Em entrevista concedida ao programa CB. Poder, parceria do Correio com a TV Brasília, na tarde desta segunda-feira (4/11), ...


AGATHA GONZAGA

Em entrevista concedida ao programa CB. Poder, parceria do Correio com a TV Brasília, na tarde desta segunda-feira (4/11), a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF) revelou que foi vítima de comentários machistas dentro da Câmara dos Deputados e reforçou que o problema é cultural.
“Em uma reunião de partido que tivemos, estávamos debatendo as recentes reformas que temos acompanhado e, em dado momento, uma autoridade se aproximou e falou: ‘Nossa, que moça bonita’. Imediatamente, o deputado ao meu lado o corrigiu, e disse a ele que eu era uma ‘deputada, casada e competente’ e que estava ali fazendo meu trabalho. Ou seja, são as colocações e comentários em um contexto que não cabem. Eu vi que nem quem fez o comentário percebeu que estava fazendo uma colocação descabida, porque é cultural”, concluiu.
Ao longo do programa, ela debateu também temas ligados à violência contra mulher, aos recentes casos de feminicídio do DF e o trabalho em busca de políticas públicas que possam combater o machismo na sociedade brasileira.
A deputada é presidente da Comissão Permanente Mista de Combate a Violência Contra a Mulher no Congresso. Para ela, é urgente combater o problema com reeducação cultural a ser colocada dentro das escolas.
“As políticas que devem ser adotadas de imediato na prevenção é que nós devemos ir para dentro das escolas, mostrar para as crianças e os jovens o que é essa relação, tirar dessa cultura machista todos os conceitos e todos os preconceitos que foram concebidos desde o início dos tempos. O Brasil é um país ainda machista e patriarcal e eu acho que a gente deve falar disso o tempo todo. Colocar os agressores com a cara estampada mesmo. Tem que ter vergonha do que está fazendo. Eles não podem achar que isso é natural”, disse.
Flávia também foi questionada sobre a CPI do Feminicídio, instaurada na última semana na Câmara Legislativa do DF. Segundo ela, o tema e o debate são importantes, mas é preciso ter foco para que a CPI não se torne mais uma discussão sem a implantação efetiva de ações de combate a esse tipo de crime.
Fundo Constitucional do DFAlém da violência contra mulher, Flávia Arruda repudiou a proposição de lei complementar de autoria da deputada Clarissa Garotinho (Pros/RJ) que propõe a divisão do Fundo Constitucional do DF com o estado carioca, sob o argumento de que a região sofreu prejuízos econômicos pela transição da capital para Brasília. “Estão chamando essa PEC de PEC da reparação. Começa pelo termo que é simplesmente um absurdo. Reparar o quê? Reivindicar uma reparação 60 anos depois? Passou um pouco do tempo”, concluiu.

Confira a entrevista na íntegra: