quinta-feira, 7 de novembro de 2019

author photo

Nova pista vai melhorar fluxo em torno da Ceasa
Com acesso direto à Estrutural, trecho a ser inaugurado atende a uma reivindicação de usuários e comerciantes
Importante ponto de comercialização de produtos hortifrutigranjeiros, a Central de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa/DF) iniciou, nesta semana, a construção de um novo acesso direto para a Via Estrutural. Executada por meio de uma parceria com o DER, a Novacap e a Secretaria de Agricultura (Seagri), o trecho terá aproximadamente 300 metros de extensão e 10 de largura. A obra atende a uma reivindicação dos usuários e comerciantes da Ceasa.
Embora o trecho a ser feito possa parecer pequeno, fará uma grande diferença no dia a dia de quem passa pelo local e beneficiará, além dos usuários e cerca de 600 feirantes, aproximadamente 3 mil caminhoneiros que abastecem a central, resultando em uma economia de tempo e uma redução de percurso para acessar a Via Estrutural.O produtor João Baumgratz comemora a novidade: “Com essa opção, vou gastar menos tempo e combustível” | Foto: Acácio Pinheiro / Agência Brasília

É o caso do produtor rural João Baumgratz, de 54 anos, morador do Programa de Assentamento Dirigido do Distrito Federal (PAD-DF). “Essa nova saída vai facilitar bastante para nós porque, dependendo do horário, o trânsito aqui é bem congestionado”, diz. “Tem hora que costuma parar tudo. Com essa opção, vou gastar menos tempo e combustível. E tempo é precioso”.
Melhora no fluxo
Quem também aprova a iniciativa é o caminhoneiro José Rodrigues Carvalho, 40 anos, que traz arroz, feijão, óleo, açúcar, café e outros produtos para a Ceasa-DF.O caminhoneiro José Rodrigues Carvalho: “Vai ficar muito bom porque vai desenrolar mais o trânsito” | Foto: Joel Rodrigues / Agência Brasília
“Vai ficar muito bom porque vai desenrolar mais o trânsito, vamos ter mais uma opção de saída”, comemora o baiano, que chega a esperar uma média de 30 minutos para conseguir sair da central.
“Vamos dar uma segunda opção para o usuário, evitando que o fluxo fique direcionado só para um local”, diz o gerente de Engenharia e Infraestrutura da Ceasa-DF, Hugo Matsuoka Santos Silva. “Estamos funcionado a todo vapor. Com o é uma via secundária, não há nenhuma interdição. O que estamos evitando é só o trânsito de pedestres, para evitar acidentes.”
O gerente informa ainda que, devido ao horário da faixa reversa da Estrutural, os estudos para demarcar o fluxo da nova saída ainda estão sendo elaborados.
Balão de acesso
Em maio, o DER/DF concluiu a construção de uma rotatória na Epia Sul em frente à Ceasa/DF. No local, que agora é um balão, existia um acesso direto cruzando a marginal oeste da Epia com acesso à Ceasa, a hipermercados e a um posto de combustível, o que ocasionava muitos acidentes de trânsito e trazia insegurança para motoristas e pedestres.
Além da abertura da rotatória de 1,6 mil metros quadrados, foram concluídos pavimento asfáltico, drenagem superficial, sinalização horizontal e vertical. Com a conclusão da obra, aproximadamente 20 mil pessoas foram beneficiadas com o fluxo disciplinado de trânsito, o que reflete em mais segurança viária.
Pontos de apoio
Outra medida do GDF que vai beneficiar os caminhoneiros é a construção dos pontos dos caminhoneiros nas regiões administrativas. Esses espaços vão contar com pavimentação, iluminação pública, saneamento básico (com sanitários) e locais exclusivo para descanso. As obras estão previstas na Lei nº 6.404, de 30 de outubro de 2019, publicada na edição do dia 1º do Diário Oficial do DF.
A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) vai elaborar um estudo sobre as áreas que serão destinadas à instalação desses pontos, identificando e cadastrando os locais que atendem à infraestrutura prevista na lei.
“Temos a convicção de que isso contribuirá, e muito, para fomentar a economia do Distrito Federal, além de ter impacto positivo no tráfego das regiões administrativas”, afirma o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro.
Segundo ele, o estudo sobre os locais que se moldam à lei leva em consideração que alguns desses espaços já são ocupados de forma improvisada pelos caminhoneiros. “Isso acontece nas vias de acesso que passam pelo Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I, Park Way, Águas Claras e Taguatinga”, exemplifica.
Ceasa-DF
Criada em 1971, a Ceasa nasceu da necessidade de constituir um local para que os produtores do DF comercializassem seus produtos, contemplando a procura da comunidade por alimentos de qualidade a preços acessíveis, tanto no atacado, quanto no varejo.
Atualmente, são 280 boxes distribuídos entre 161 permissionários, alguns dos quais ocupam mais de uma unidade. Segunda-feira, quinta-feira e sábado são os principais dias de comercialização no atacado, com cerca de 540 produtores trabalhando no local. No sábado, a central funciona das 4h30 às 14h.

Com informações do DER/DF e Semob
your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Tempo Agora

ESTRUTURAL - DF TEMPO AGORA