Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

Comércio do DF projeta aumento nas vendas na última semana do ano

Comércio do DF projeta aumento nas vendas na última semana do ano Previsão do Sindivarejista é de que os negócios às vésperas do réveillon...


Comércio do DF projeta aumento nas vendas na última semana do ano
Previsão do Sindivarejista é de que os negócios às vésperas do réveillon cresçam 2% em comparação com o mesmo período de 2018. Trocas de presentes e novas compras são apostas para impulsionar o setor depois do melhor fim de ano dos últimos cinco no DF.
O comércio no ano-novo segue no clima de otimismo do Natal, que registrou as melhores vendas nos últimos cinco anos
Os enfeites do Papai Noel aos poucos abrem espaço para o brilho e as peças brancas do réveillon. A expectativa do Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal (Sindivarejista) é de aumento de 2% nos negócios na última semana do ano — em 2018, o índice nesses dias foi de 1,5% em relação a 2017. Um dos motivos são as trocas de presentes, que, segundo o setor, acabam acompanhadas por escolhas de produtos mais caros ou de novas compras.
A área de vestuário deve ser a mais procurada no período. A dona de casa Joely Franco de Sousa, 43 anos, andava ontem em um shopping da cidade à procura de um figurino para a festa da virada. “Vim comprar uma roupa para usar no ano-novo, além de algumas peças para fazer uma viagem. Pesquisei bastante, não encontrei muitas promoções, mas estou levando o que eu precisava”, disse.
A estudante Samia da Silva Paiva, 23, queria presentes de fim de ano, mesmo após o Natal. “Preciso presentear o meu namorado e a minha cunhada. Mas vim consciente do que eu queria e comprei somente isso mesmo”, contou. Os produtos escolhidos foram perfume e estojo de maquiagem.
As compras de última hora e a troca de presentes reforçam o otimismo do comércio para os últimos dias do ano. Daniella Naegele, 48, é dona de uma marca de roupas, com lojas na Asa Sul e na Asa Norte. “Tivemos um crescimento de 15% no Natal. Estamos otimistas com o réveillon, e a nossa expectativa é de continuar crescendo as vendas. Até o dia 31, estamos com uma ação de desconto de 20% para peças brancas. É um modo de incentivar a cliente ir à loja e garantir um look para o ano-novo”, destacou a empresária.
As peças mais procuradas, segundo o Sindivarejista, são as em cores branca, amarela, pérola e vermelha. “Apostamos em peças de comprimento longo e midi — abaixo do joelho — para este ano. Temos um vestido longo com babados, decote V profundo, com detalhe de listras coloridas que está saindo bastante. Outra aposta que está sendo best-seller são os nossos vestidos em laise (tipo de tecido que lembra renda), bem femininos, ótimos para temporada de verão e praia”, comentou.
Samia aproveitou esta semana para comprar perfume e maquiagem(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
LiquidaçãoPara o período, os shoppings da cidade esperam aumento nas vendas e destacam as liquidações como atrativo para o público. “O Natal superou as nossas expectativas. Tivemos dois meses muito bons de venda. A nossa previsão para dezembro era de aumento de 8%, mas a gente espera fechar o ano chegando a 10%”, ressalta a gerente de marketing do Conjunto Nacional, Claudia Durães.
Nesses locais, diversas vitrines exibem propagandas de liquidação. De acordo o presidente do Sindivarejista, Edson de Castro, muitos comerciantes anteciparam os descontos, que, geralmente, começam em janeiro. “Muitas lojas estão com peças com até 70% de desconto nesse período, até o dia 31. Isso também é um atrativo a mais. As pessoas vão trocar presentes e acabam levando algo que está em liquidação”, ressaltou.
Quanto ao Natal, o Sindivarejista considerou o melhor dos últimos cinco anos para o comércio — em 2014, nesta mesma época, o faturamento das lojas cresceu 2% em comparação com o ano anterior; 2%, em relação a 2015; 2,8% em 2016; 3% em 2017; e 4% em 2018. Agora, as vendas tiveram alta de 6%. Além disso, o gasto médio com presentes subiu de R$ 240, no ano passado, para R$ 263, em 2019. Alguns segmentos, como roupas, brinquedos e calçados, tiveram expansão de 7,2%. O Sindvarejista destaca que o saldo positivo ocorreu em razão do 13° salário. O pagamento injetou na economia local mais de R$ 7 bilhões, além dos R$ 30 milhões do Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep).
Fique atento aos horários do comércio31 de dezembro
Funciona até as 15h
1° de janeiro
As lojas não abrem
Leia mais

Nenhum comentário