Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Últimas notícias

latest

Júlia Lucy explica sua indignação com agentes públicos “corruptos”

Deputada Júlia Lucy, na tribuna da Câmara Legislativa “Os agentes corruptos mancham as corporações que fazem parte, aterrorizam as pessoas p...


Deputada Júlia Lucy, na tribuna da Câmara Legislativa

“Os agentes corruptos mancham as corporações que fazem parte, aterrorizam as pessoas por meio de ameaças e violências físicas e provocam danos muitas vezes irreparáveis ao erário. Não podemos ser coniventes com nenhum tipo de situação de corrupção. O DF já sangrou muito por isso e recebo diariamente no meu gabinete uma série de denúncias que são devidamente investigadas e levadas adiante”, afirmou a deputada distrital Júlia Lucy (Novo), sobre episódio de agressão de servidor da administração do Gama, agredido por dois homens, numa lanchonete da cidade. 
A parlamentar é alvo de representação após gravar vídeo criticando a atuação de servidores que mancham as corporações.
A Mesa Diretora da Câmara Legislativa (CLDF) recebeu, nesta terça-feira (4), uma representação onde a deputada Júlia Lucy (Novo), é acusada de quebra de decoro. Segundo o documento, numa transmissão ao vivo, a deputada teria incitado violência contra servidores públicos que cobrarem propina. 
O documento é assinado por Cleider Paiva, chefe de gabinete da Administração Regional do Gama. 
O servidor pede a perda do mandato da distrital”.
A parlamentar comenta a agressão sofrida por Cleider Paiva, também conhecido na região como “Pudim”, que foi agredido por dois homens ainda não identificados.
Em sua manifestação, Júlia Lucy afirma que “cobrança de propina, ameaça aos pequenos comerciantes e empreendedores, criação de dificuldades para vender facilidades são técnicas há muito tempo utilizadas no Brasil e que somente colocam as pessoas em uma situação de medo e impotência, pois são os pequenos que mais sofrem e não sabem a quem recorrer. Por isso, as pessoas não podem mais abaixar a cabeça e precisam se defender de qualquer tipo de situação de roubo ou exploração”.
“Denunciar algo que não está certo”
Expressões como “meter o pau”, “colocar a boca no trombone” ou “descer o cacete” têm um sentido conotativo, figurado e metafórico. 
Meter o pau é denunciar algo que não está certo, gritar ou revelar algo que se saiba para todo mundo. 
Pode-se dizer também que quem põe a boca no trombone é uma pessoa que não quer guardar segredo, explica a deputada sobre o que disse no vídeo.
“Não ser conivente”
“Descer o cacete”, esclarece a parlamentar”, “é não aceitar, é denunciar, é gritar aos quatro cantos e não ser conivente nem participar do ato que gera malversação do dinheiro público e todas as consequências da corrupção que é o câncer do Brasil e do mundo”.
Gabinete aberto para denúncias
Por isso, nosso gabinete está sempre aberto para receber denúncias e fiscalizar o poder público. Basta procurar o gabinete 23 ou nossos canais de whatsapp no 98167-6221.
Representação
De acordo com o regimento interno da Câmara Legislativa, após ser protocolada, a representação será analisada pelos integrantes da Mesa Diretora, composta pelo presidente, vice e secretários. 
Não há previsão para que o colegiado delibere sobre o pedido.
Caso a representação seja acatada pelos parlamentares, a Mesa Direciona encaminha o documento para a Corregedoria da CLDF, que terá a responsabilidade de identificar os supostos crimes cometidos.
Na hipótese do corregedor admitir a existência da quebra de decoro, o processo passará a ser analisado pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar e se referendada então vai para análise do plenário.

Nenhum comentário