banner

domingo, 2 de dezembro de 2018

author photo

Suspenso o despejo do Acampamento Quilombo Campo Grande

O Desembargador do Tribunal de Justiça de Minas Gerais suspendeu a reintegração de posse dada no dia 7 de novembro, pelo Juiz Walter Zwicker Esbaille Jr

Da Página do MST
Foto de capa: Joyce Fonseca


Após 24 dias de resistência contra a liminar que ordenou o despejo das famílias do Acampamento Quilombo Campo Grande, o Desembargador Marcos Henrique Caldeira Brant suspendeu a decisão da Vara Agrária. Ele considerou que os acampados “ocupam a área rural por considerável período, aproximadamente 14 anos, com cultivo de lavoura de café entre outros, havendo inclusive imóveis edificados nos quais residem as respectivas famílias”, como afirma o documento.

As famílias poderão passar o natal em segurança, porém o MST alerta que a solução definitiva é o assentamento das 450 famílias, que moram há 20 anos na usina falida Ariadnópolis, em Campo do Meio-MG. É preciso regularizar a situação para garantir que elas continuem trabalhando, produzindo e vivendo da terra. Em agradecimento à sociedade o movimento fará uma distribuição de alimentos na feira da cidade, neste domingo, 02, a partir de 8 horas.

O juiz Walter Zwicker afirmou na liminar de despejo que não havia famílias, nem produção no acampamento. Foto: Dowglas Silva

Confira a nota do MST de Minas Gerais:

Vitória para o Quilombo Campo Grande
Desde o dia 7 de novembro vivemos dias de apreensão, luta e resistência. Sem saber o momento em que a polícia poderia vir nos tirar tudo que foi construído em duas décadas de muito trabalho, nos organizamos para permanecer no caminho daquilo que mais sonhamos: a terra.
Foram inúmeras as manifestações de solidariedade. Contamos com a presença de muitos amigos. Trabalhamos juntos, de maneira incessante para denunciar a injustiça que estava prestes a acontecer. O MST do Sul de MG, as famílias do Quilombo Campo Grande podem dormir tranquilas por hoje e fazer muita festa. Sabemos que a suspensão do despejo é uma vitória parcial, mas estamos comemorando muito, pois em tempos de ameaça do fascismo, cada vitória tem que ser comemorada com muita força.
Essa vitória foi fruto de muitas mãos. É uma vitória legítima da classe trabalhadora. Foram enviadas mais de mil cartas ao juiz da Vara Agrária e mais de 500 cartas ao desembargador do TJMG. Recebemos apoio de diversas igrejas, parceiros aqui da região e de todo Brasil. Artistas e comunicadores se mobilizaram. Mais de 40 países intercederam através de diversas organizações. Nossos deputados também foram fundamentais nessa conquista.

Além do Café Guaií, o Quilombo Campo Grande produz frutíferas, hortaliças, mudas para reflorestamento, entre outras. Foto: Joyce Fonseca

Agradecemos a todos e todas! Em especial ao povo de Campo do Meio, aos comerciantes e vereadores: sem vocês não seria possível nossa vitória! Vamos juntos resistir e mostrar como as sementes que plantamos em Campo do Meio, geraram frutos fortes que precisam de muitas mãos para colher.

Seguimos atentos, sabendo que essa foi mais uma etapa rumo à conquista. Sabendo da força que temos juntos seguimos mais confiantes. Essa decisão comprova a legitimidade do Projeto de Reforma Agrária Popular. Seguimos cantando e plantando resistência até a vitória definitiva.

#RESISTECAMPODOMEIO
#SALVEQUILOMBO

Quilombo Campo Grande não para de lutar, para construir Reforma Agrária Popular!
MST-MG, 30 anos semeando e alimentando a resistência!

your advertise here
Próximo Próximo
Anterior Anterior

Publicidade