Page Nav

HIDE

Grid

GRID_STYLE

Pages

Classic Header

{fbt_classic_header}

Últimas notícias

latest

Mãe detida por matar filho arranca um dos olhos em centro de detenção

Mãe detida por matar filho arranca um dos olhos em centro de detenção Mulher jogou o olho esquerdo no ralo do banheiro da cela; depois, te...


Mãe detida por matar filho arranca um dos olhos em centro de detenção
Mulher jogou o olho esquerdo no ralo do banheiro da cela; depois, tentou arrancar o direito
Uma mulher, em desespero, arrancou o olho esquerdo com as mãos e perdeu a visão do direito, após ser detida por matar o próprio filho.
O caso aconteceu no sábado (16/11), na cidade de Rio Verde (GO), a 232 km de Goiânia, capital do Estado. A mesma mulher já era investigada pela morte de um recém-nascido. À época do crime, ela afirmou às autoridades que teria “deitado em cima do bebê”.
O crimeNa madrugada da última quinta-feira (14/11), a mulher chamou a polícia após matar o filho, de seis anos, em Santa Helena, Região Sudoeste do estado.
Em depoimento ela confessou o assassinato depois de ter um “ataque de fúria”, porque a criança se recusava a limpar a casa por volta de 4h30 da manhã. Quando os policiais chegaram, ela estava no quintal colocando fogo nas roupas do menino.
A criança teve uma fratura no pescoço e ficou muito machucada. Exames estão sendo feitos pelo Instituto Médico Legal (IML) para descobrir a causa da morte do menino.
O pai do garoto também foi ouvido pela Polícia Civil e até o momento não é suspeito de envolvimento no crime.
Olho no ralo Depois de dois dias detida pelo crime no Centro de Inserção Social (CIS) de Rio Verde, interior de Goiás, a mulher teve um novo ataque e arrancou o olho esquerdo com as unhas. Em seguida, jogou o olho no ralo do banheiro da cela e tentou arrancar o direito, quando foi imobilizada por policiais.
A mulher foi encaminhada à Fundação Banco de Olhos, em Goiânia. A cirurgia para salvar a visão do olho direito não teve sucesso e ela ficou cega. Agora, aguarda vaga para internação psíquica.
Em nota, a Diretoria-Geral da Administração da Penitenciária (DGAP), informou que a detenta estava sozinha na cela quando se feriu e apresentou alterações psicológicas e emocionais.
A mulher também é mãe de um recém-nascido, que foi encaminhado para Casa de Acolhimento pelo Conselho Tutelar da cidade. O bebê está em posse do Juizado da Infância e Juventude e ainda não foi entregue para familiares.
*Estagiária sob supervisão do editor Benny Cohen